31.12.04

E no Oriente Medio ja eh 2005!!!
Passamos o ano assim: depois de eu ter trabalhado, vim correndo para a casa de um amigo. Estamos em cinco, os que sobraram: um chileno, um argentino e tres brasucas. A meia-noite, um brinde, outro, outro mais, palavras desejando sorte na nova vida em Israel, musica da MTV. Estamos em dois mil e cinco, enfim!

Feliz ano novo!

27.12.04

Orkut, essa maravilha
Faz um tempinho ja que estou no Orkut, essa maravilha. Quando entrei, desconfiado, nao demorei a gostar. Mas demorei, isso sim, pra achar utilidade na brincadeira, que agora ja tem dezenas de copias que nao vao pegar! Conto. Entre as doze fotos que permitem colocar, duas eram das antigas. Em uma delas apareco com a Leticia (nao deviamos ter mais de 8, 9 anos) em uma festa do colegio...

E eis que, tempos depois, a Leticia, que hoje estuda medicina em Madrid, me achou! Achou, achou a foto, mandou mensagem e eu morro de dar risada toda vez que chega algo dela, quase todo dia. Ou da Karina, por quem estive loucamente apaixonado quando nao sabia ainda o que era estar loucamente apaixonado. A Karina tambem mora em Madrid. O Fernando, um dos meus melhores amigos do colegio, e a Graziela, com quem vivia discutindo, tambem me acharam!

Hoje estamos, Leticia, Karina e eu, combinando de, quem sabe, fazer um reencontro ca ou la. Passear os tres, e quem mais quiser, pela Ben Yehuda ou pela Plaza de Mayo. Comer uma tortilla ou um falafel. E rir, porque precisamos rir, lembrando daquela infancia, de 12 anos atras, das brigas, das provas, dos professores... Tudo, e mesmo que nao seja nada disso ja tera sido bastante, gracas ao Orkut, essa maravilha!
Tour em zona A
Estive na semana passada na cidade de Kalkilia, arabe. Nao na cidade, mas perto o suficiente para diferenciar telhados de domos. E perto o bastante para ver a cerca de seguranca que vai sendo construida pela Cisjordania. E estive com outros jornalistas, um alemao e um suico, ciceroneados, nos tres, por representantes do porta-voz do Exercito israelense. Uma coletiva de imprensa, por assim dizer.

Depois de conhecer de perto a cerca - que so em 5 por cento do seu trecho eh muro, por representar ameaca para estradas - fomos para um checkpoint. Trata-se, para quem nao ve CNN, de um ponto de passagem e checagem entre o que um dia serah o Estado palestino e a atual Israel. Quem sai nao eh checado, quem entra sim, naturalmente. Vai-e-vem normal, como em um pedagio, como em uma portaria. Documentos, perguntas, revistas.

O passeio terminou na central de inteligencia da cerca de seguranca. Por fora parece um acampamento improvisado. Por dentro, computadores e cameras vigiam cada centimetro de seus muitos quilometros. Sensores posicionados na cerca avisam se alguem a tocou, se apoiou algum peso, se tentou escala-la, se tentou corta-la. Diante dos computadores, como se fossem criancas jogando algum game de ultima geracao, jovens soldados, mais jovens que eu.

Na volta, o jornalista alemao, que estava de carro, me deixou em Kfar Saba. A distancia entre Kalkilia e a cidade israelense eh assustadoramente pequena. Tao pequena que, sem a cerca, um terrorista poderia chegar ate la a pe em meia hora. Nao eh um exemplo retorico. O suicida que matou mais de vinte jovens em junho de 2001 em uma danceteria na praia saiu de Kalkilia. Andou ate um cruzamento, que fica do lado de ca da cerca (na epoca inexistente) e tomou um taxi para Tel Aviv. Ele nao foi o unico.

23.12.04

Um pneu furado
Dia desses, indo para o supermercado (sim, agora eu vou ao supermercado, sejam bem vindos a minha vida real de israelense normal!), uma mulher estava plantada ao lado do carro dela, que tinha um pneu furado, triangulo na mao. Nao sabia o que fazer. Pediu ajuda. Dani e eu, que nao somos letrados em hebraico mas nos viramos com pneus, fizemos o servico. Tudo correu bem.

Depois do pneu trocado, os agradecimentos. Disse ela que nao tinha palavras para agradecer a mitzva (boa acao) que tinhamos feito. Que "muito obrigado", "voces sao uns anjos", "voces vieram do ceu", bla, bla, bla. Um exagerado desfile de agradecimentos. Nao precisava, serio. Como disse o Dani, uns trocados ajudariam mais. Brincadeira! Eu nao teria aceitado!

E isso me faz lembrar de como eh engracado, as vezes, viver aqui em Israel. Nao sei se contei e estou com preguica de espiar (ou "espionar", como contou uma amiga que faz!) no blog. Mas antes de achar ape, num ponto de onibus, uma mulher puxou papo, me deu pedacos do jornal que acabara de comprar, conselhos e o numero do telefone. Como se fossemos velhos conhecidos. Nos cruzamos mais algumas vezes...

Outra, sentado no onibus voltando pra casa, tentando me concentrar para ler a descricao do celular que quero comprar, uma senhora, sentada ao meu lado, puxa papo. "Voce pode escrever uma coisa pra mim?", perguntou sem saber que de hebraico nao manjo muito. Expliquei e ela entao quis saber de onde vim, o que faco, porque cargas d'agua fiz aliah etc. E nao acreditou que eu tivesse mais que 18 anos! Depois, deu dica do melhor ponto pra descer, uma bronca por nao ter tomado o onibus que passa mais perto de casa... Como se fossemos velhos conhecidos!

E a vida vai! Sempre que podem, os israelenses se metem na vida uns dos outros, mas com boas intencoes, pra ajudar. Se voce pergunta em uma parada de onibus que linha vai pra tal lugar, todos que estao ali vao te dar alguma dica. Geralmente sao todas diferentes, vai de voce escolher uma! Um barato, uma piada!

Uma coisa doida eh que aqui em Israel, sem Natal, sem clima de fim de ano, sem propagandas na TV para vender tudo que se pode, nao se sente que mais um ano vai, outro ano vem. Mas ja eh quase 2005. Entao, um bom Natal, um feliz ano novo a todos!

16.12.04

Mudanca...
Etmol haia tov
Ve ihie gam machar...


Quando ouvi essa musica, ontem, depois de carregar minha bagagem, estava detonado de cansaco. Fui dormir tarde anteontem porque trabalhei ate uma da manha no hotel de um kibutz aqui perto. Fazia frio e a cozinha ficava separada do salao de festas. Conclusao: dor de garganta e sumico da voz!

E ontem era o dia 15 de dezembro, o fatidico dia da mudanca. Depois de ajudar metade da galera a carregar malas, acomodar nos porta-malas dos onibus (nunca pensei que onibus pudessem ter porta-malas pequenos!), subir moveis na casa de amigos, fui enxotado do ulpan, e descobri que as minhas shutafot nao estavam em casa. Tive que deixar tudo no deposito da casa de um amigo...

Final da historia: fiquei sem lenco nem documento, sem mala nem blusa... E so depois de cinco horas as meninas voltaram para o ape. Vieram me buscar (eh uma boa ter shutafot com carro!) e fomos assinar o contrato, pagar a primeira parcela do aluguel...! La se foram duzentas pilas!

No final da noite, passei duas horas arrumando meu quarto, deixando os 9,61 metros quadrados em que vou viver pelos proximos doze meses com a minha cara. Foi assim: gripado, cansado, num dia frio e chuvoso. Mas agora tenho a minha casa, o meu quarto, as minhas chaves...! Nada se compara a essa sensacao!

13.12.04

Passei!
Brigamos, batemos o pe e conseguimos trazer para Jerusalem o programa Taka, realizado burramente em Ashkelon, cidade que de bom so tem a praia... E entao marcaram uma prova, que fizemos na semana passada... E (acabei de saber!) eu passei! Tirei incriveis oitenta e seis!! Bom, eh o primeiro passo em direcao aos meus estudos de mestrado em Relacoes Internacionais...

12.12.04

Estava demorando...
Mais um atentado (Haaretz, CNN), depois de uma longa mas estranha calmaria em Israel. O que mais me irrita eh o fato de que, como sempre, o mundo vai fechar os olhos para mais esse ato brutal. Quando cheguei aqui, onde estou, uma imagem projetada na parede mostrava um palestino mascarado sendo entrevistado por um jornalista de uma TV arabe. Nao entendi tudo o que disse, porque falou em arabe, mas mencionou o nome do Arafat. Na traducao para o ingles, que li agora, entendi:

A Palestinian militant giving his name only as Abu Majad said the blast in the 250-meter tunnel was retaliation for what he called "the assassination" of Yasser Arafat, who died on November 11.

Cacete, que assassinato? O homem morreu de velho e doente. Mas o mundo, eh claro, nao vai dizer nada... Do lado de Israel, continuam as negociacoes para a formacao de um governo de coalizao que poderah garantir a manutencao do plano de desconexao. So aqui um primeiro-ministro de direita pede a um lider de esquerda para entrar no governo - porque ele sabe que so assim poderah manter-se no poder...

Vamos ver no que da...

7.12.04

Eh Chanuka!
Chag sameach ve mair.... Para as rezas, clica!

Em tempo, uma que merece entrar na lista de coisas que so acontecem em Israel. Estava ontem com amigos no kanion Adar, um shopping center pequenininho aqui perto, quando acenderam a primeira vela de Chanuka. De repente, a praca de alimentacao do lugar "parou" para ouvir as rezas e para, ao final, dizer em coro: Amen! Arrepiante! (Esqueci de contar ontem, mas encaixo aqui!).

5.12.04

Cobertor
Dia desses comprei um cobertor. Maravilhoso, diga-se de passagem. Mas, depois de comprar, pagar, colocar na minha cama e dormir umas noites, me dei conta: po, nunca comprei eu mesmo um cobertor antes! Que coisa! Estou virando gente grande!

Filosofia (barata) do dia:
Amadurecer eh comprar pra si mesmo um cobertor.

E tenho dito, ainda sem apartamento e sem cama propria... (mas pelo menos com um otimo cobertor!).

2.12.04

Pagando bem...?
Eh uma maxima, nao tem jeito. Ontem, repetimos mil vezes a frase Tem coisas que so acontecem mesmo aqui na Terrinha! Estavamos em um centro de estudantes que fica ao lado da Universidade Hebraica de Jerusalem, localizada no mais alto monte da cidade (chamado, por isso, de Har Hatzofim). Um lugar lindo, em resumo.

E, como se nao bastasse isso, ainda tem mais: fomos para nos inscrever em um curso de religiao. Funciona assim: vamos ate la, assistimos a duas palestras semanais, comemos e bebemos do bom e do melhor (pizza, sushi, churrasco...), e no fim de tres meses recebemos trezentos dolares. Sim, recebemos! E ainda, na casa, uma especie de Beit Hillel, tem internet, lavanderia, sinuca e varias coisas pra fazer...

Tem coisas que so acontecem mesmo aqui na Terrinha!

Tashlumim
Comprei um laptop, como contei de passagem em um dos posts abaixo... Nao poderia perder a promocao, oferecida aqui para estudantes: voce abre uma conta no Bank Mizrachi, vai ate uma loja da Office Depot e recebe o micro, um HP que vale pelo menos 450 dolares mais do que pagou! E, o melhor de tudo, o banco financia o notebook em 40 tashlumim (parcelas), sem juros! Agora so falta o micro chegar - preciso esperar um mes, mais ou menos!

Vergonha
Li na Folha que hoje o Tribunal de Justica de Sao Paulo deve julgar o caso da explosao no Osasco Plaza Shopping, que aconteceu em 1996, oito anos atras e deixou 42 mortos. Que vergonha esse pais...

1.12.04

Tchau
O ulpan Etzion estah parecendo, como comentamos esses dias, a casa do Big Brother... A cada dia um eh eliminado, vai embora. Estou na sala de laptops (o que eu comprei ainda nao chegou, mas estou usando um emprestado!) pesquisando informacoes para uma entrevista que farei logo mais tarde, hoje, em Tel Aviv.

E fiquei emocionado, agora, vendo duas garotas, que dividiram um quarto nos ultimos cinco meses, se despedindo. Uma eh francesa; a outra, russa... A francesa vai embora do ulpan. Vai ficar, como a maioria de nos, em Israel, nesse pais pequenininho. Mesmo assim, fica a sensacao de que nao vamos rever mais as pessoas...

Inevitavel citar o filosofo Lulu Santos, que cantava que nada do que foi serah de novo do jeito que ja foi um dia...

28.11.04

Chatul
Chatul, gato em hebraico, eh a primeira palavra do meu irmao, que fez tres anos na semana passada, no novo idioma. Muito fofo! "Serah que o chatul me deixa passar a mao, Dabiel?" "Dabiel" eh como ele me chama, dificuldade que tem de pronunciar as letras todas do meu nome!

Passei o fim de semana com ele, em Raanana, perto de Tel Aviv. Com ele, meu pai e a mae do Breno, que aqui vai virar Igal (o segundo nome dele) rapidinho. Foi muito legal, apesar do frio. Conhecemos todos os parques da regiao! E giramos como criancas (bom, eu, como crianca...) no gira-gira... Depois o vi sair correndo e capotar feito bebado, tonto!

Por aqui na Asia
E serah que uma mulher pode ganhar as eleicoes na Autoridade Palestina?! Embora o assunto ja nao esteja na crista da onda, eh interessante o texto do Vinicius Mota, editor de Mundo da Folha, Guia pratico: o que fazer com o corpo de Arafat.

Por ai na selva
Agora traficantes invadem bailes e matam gente. Pelo jeito as coisas estao cada vez melhores no pais do Lula... Que vergonha. E que alivio. E pensar que eu acreditei um dia poder mudar o Brasil.

24.11.04

E o segundo lugar vai para...
Recebi a noticia hoje, um dia de nao muitas boas noticias. Veio por email, da minha orientadora, que me acompanhou (seria melhor dizer "me aturou"!) durante a producao do meu TCC, a monografia Historias de Nahum Sirotsky - A atuacao de um dos protagonistas do jornalismo brasileiro nos ultimos 60 anos: o trabalho foi escolhido em segundo lugar para o Premio Metodista de Jornalismo!

Quero colocar minha monografia online. Alguem tem ideia de como posso fazer isso?
Antes que comece a falacia
Morreu um gaucho na Cisjordania. Morreu matado. Matado pelo Exercito israelense. Mas nao foi a toa, porque o cara, como o primo dele reconheceu em entrevista, fazia parte da Fatah. Em outras palavras, era um terrorista...

Agora pode comecar a falacia!

23.11.04

Carta?
Sou fa de mandar e receber cartas. Calma, nao estou pedindo (de novo) que me enviem nada. Pelo menos nao ate que eu tenha finalmente um endereco, porque a busca pelo teto ainda nao acabou - so se tornou mais complicada, agora...

Mas, como ia dizendo, sou fa de cartas, das tradicionais, que chegam seladas, registradas, carimbadas, envelopadas... Talvez porque eu seja velho, de "outra geracao", de outros tempos... Talvez porque seja apenas romantico, e cartas sejam igualmente romanticas.

Fato eh que hoje pedi pra minha prima, dez anos mais nova que eu, o endereco dela, pra mandar umas fotos que revelei (sim, ainda tiro fotos nao digitais...). E ela nao entendeu, acreditam?!? Po, que mancada, me senti um anciao pre-historico falando com um ser da era dos "virtuais"...

Deixando pra la isso, as fotos sao lindas. Sao de um filme que eu trouxe do Brasil, feito na minha despedida da familia, todo mundo muito emocionado, todo mundo chorando. Saudade. Muita saudade.

21.11.04

Fotos novas e tempo novo
Faz frio em Jerusalem. Muito frio. Muito menos frio do que vai fazer dentro de mais algum tempo, mas ja eh muito frio. Tem previsao de neve para amanha. Duvidamos que realmente caia neve, mas o frio eh bastante. Alem do frio, outra novidade eh que tenho novas fotos, do passeio que fizemos para o sul na semana passada.

18.11.04

Shabat Shalom
Desde ja e para retomar a velha tradicao...!

E tambem porque eu nao tenho muito mais para dizer, alem de que meus dias tem servido para nada mais que estudar de manha e continuar a busca de apartamentos de tarde... E, ate agora, nada.

Entao, apenas Shabat Shalom.

15.11.04

A busca por um teto
Eh muito comum, aqui em Israel, jovens viverem fora da casa dos pais. No Brasil eu morei sozinho no ultimo ano e meio. Mas eu contrariava as estatisticas e as tradicoes. Aqui, nao. Aqui, eh estranho morar com os pais depois dos 18 anos - quando se vai para o exercito.

E existe todo um ritual de busca por apes... Estudantes moram com estudantes, geralmente gente que nao se conhecia ate que decidiu dividir o mesmo teto. Os anuncios se espalham pelos murais das universidades, pela internet, nos postes pela rua...

Ja comecei o ritual de busca por um ape! E o ritual comecou com uma ida ate a universidade para recolher anuncios. Fui com o Daniel, porque decidimos alugar juntos o cafofo. Depois de coletar um monte de pedacos de papel, voltamos para o ulpan e entramos na internet para ver outras ofertas...

Com todas elas em maos, e nao eram poucas, comecou outro ritual, o de procurar os apartamentos no mapa de Jerusalem. Com os nomes das ruas, tudo em hebraico, la fomos nos percorrendo o mapa. Metade foi embora ai. As que ficaram passaram pelo outro ritual, o das ligacoes:

Shalom, ani mitkasher be kesher la dira...
(Oi, estou ligando pra falar sobre o apartamento...)

A resposta mais ouvida era "Ze lo actuali" (nao eh atual). Mas havia quem ainda queria alugar o apartamento. Entao, em hebraico, ia descobrindo se tem moveis, onde fica, quanto eh o aluguel, a arnona (especie de IPTU), o condominio, se tem aquecimento solar...

Depois disso tudo, as visitas... E dos quatro que vimos, so um podia ser descartado, de tao destruido que estava. Os outros tres nos deixaram uma duvida que ate o final dessa semana terah que ser resolvida...

Aguardem, entao, as cenas do proximo capitulo! Provavelmente em uma semana ja terei ate fotos do novo cafofo!!!

Em tempo
Estamos vivendo um tempo de mudancas aqui no Oriente Medio. As manchetes dos jornais israelenses na manha seguinte a morte do Arafat falavam em um Mizrach Tichon Chadash, um novo Oriente Medio. Ontem, em visita a redacao do jornal Yediot Acharonot, um dos mais importantes daqui, soube em primeira mao da tentativa de matar o Abu Mazen... Sempre disse que gostaria de ter vivido em outras epocas, para presenciar coisas importantes para Israel, como sua declaracao de independencia, em 1948. Talvez tenha surgido a oportunidade de presenciar, vivenciar e noticiar mudancas importantes aqui. Mas a verdade eh que ando meio sem saco para isso tudo, esses dias. Confesso que ate pensei em ir a Ramallah, pra acompanhar o enterro, mas mudei de ideia. Ando meio desmotivado, apesar de estar cheio de motivos para nao estar. Vai passar...

11.11.04

Um pequeno em Israel
Meu irmao chegou em Israel. Ele, a mae dele e o meu pai. Como apertei esse menino hoje!!! Saudade eh foda! Amanha, acordar cedo, passear por Jerusalem, comer fora do ulpan! E eu que tinha pensado em ir pra Ramallah acompanhar de perto o enterro do Arafat...

10.11.04

Com a palavra, Jaime Spitzcovsky
Ainda sobre Arafat, a palavra eh do meu ex-chefe. Na opiniao dele, como o Arafat nao tem um sucessor preparado, o cenario provavel eh de que "os territorios palestinos mergulhem numa luta pela sucessao".

Para o Jaime, pelo menos tres grupos concorrem ao posto do Arafat: liderancas mais velhas, como o primeiro-ministro Ahmed Qorei e o ex-premie Abu Mazen; uma "geracao mais jovem", entre eles Marwan Barghouti, preso em Israel por terrorismo, e Mohammed Dahlan; e fundamentalistas do Hamas...

O cenario estah feio. Uma coisa eh muito certa: a declaracao da morte do Arafat, mais cedo ou mais tarde. Manchete do Maariv de hoje (que eu fiz questao de comprar, pra mostrar pras minhas proximas geracoes): Nigmar (Acabou), com a foto do Arafat ao lado. Dentro, na materia, Shaat haMavet (Hora da morte)...

9.11.04

Fotos novas
Coloquei muitas fotos novas no meu site... Tem fotos do tekes do Rabin, da balada que rolou na ultima quinta-feira na HaOman 17, uma balada muito boa aqui em Jerusalem, e do tiul que fizemos ontem, pra Suprema Corte de Israel e pro Monte Hertzl.

8.11.04

Vida real
Deixemos o Arafat de lado por um pouco. O cara ja ta morto, mesmo. Hoje a manchete do Haaretz entregava a historia, para quem le entrelinhas: PA leaders leave for Paris, expected to declare Arafat dead.

Deixemos o Arafat de lado porque tenho coisas mais importantes com as quais me preocupar. Uma delas eh... o meu futuro! Afinal, em exatos trinta e sete dias, acaba o ulpan. Isso siginifica que praticamente da noite para o dia vou ficar sem internet, sem comida "de graca", sem moradia barata, sem um monte de mamatas...

E significa, portanto, que no dia 15 de dezembro ja terei que estar em outro lugar, provavelmente um ape, pagando aluguel, assumindo contas e trabalhando pra bancar a coisa toda, claro. Ja tenho um shutaf (flatmate, uma palavra que falta em portugues!) e estamos procurando um terceiro, que tem que ser israelense!

Significa, tambem, que preciso pensar nos meus estudos, porque em um ano quero estar registrado como aluno no mestrado da Faculdade de Ciencias Sociais da Universidade Hebraica de Jerusalem. Nao sei se ja contei que decidi trocar as bolas: deixei o curso que estudaria no mestrado (Historia do Oriente Medio) pra depois, pro doutorado. E vou estudar agora Relacoes Internacionais e Ciencias Politicas. Mas ate la, um longo caminho...

Enfim, a vida real vai comecando, as preocupacoes vao aumentando...

6.11.04

Esse negocio de politica do Oriente Medio...
A coisa ta assim: o Arafat ta no morre-nao-morre (pra mim, e nao so pra mim, eh o Tancredo Neves dos palestinos, so estao esperando definicoes do que vem para contar pra todo mundo o que todo mundo ja sabe); o Bush ganhou nos EUA (e ha quem diga que se ele ganhasse ou se a vitoria fosse do Kerry, daria no mesmo pra Israel); o Sharon aprovou na semana passada o plano de desconexao (e ele vai ter que ser aplicado na pratica, sair do papel)...

Quero fazer uma pausa aqui para contar uma historia. Meu pai eh leitor voraz de jornal. Bem mais que eu, confesso! E, alem de leitor, recortador. E eu tenho comigo um recorte amarelo da Gazeta Mercantil de 18 de junho de 1991, de portanto treze anos atras, que ele me deu. O titulo da materia destacada pelas dobras na pagina do jornal eh Jerusalem se prepara para o futuro, um texto de Colin Amery, do Financial Times.

Bom, hoje estava relendo o recorte. E, la no meio (e com isso vou encerrar a pausa e ligar as coisas), Amery dizia assim: Mas Jerusalem eh hoje o centro de problemas politicos que ameacam empanar suas conquistas urbanas. O prefeito Kollek eh sabio quando corajosamente aponta, como fez no tributo a seu aniversario no Knesset, que Israel estah errado em tentar aferrar-se aos terrirorios ocupados e governar mais de 1,5 milhao de arabes.

"Isso so pode terminar mal" disse Kollek; "ou deixaremos de ser um Estado judeu ou deixaremos de ser uma democracia".

Eh isso. Agora, os dados estao rolando. E o texto de treze anos atras eh atual, de novo. O que vai ser ninguem sabe. Poucos arriscam previsoes futuristas. Os que arriscam, estao sujeitos ao erro. Eu nao quero arriscar (mais) previsoes porque o risco do erro me incomoda. E porque nao cabe a jornalistas fazer previsoes, mas viver delas quando ja tiverem virado fatos.

4.11.04

Update
ARAFAT MORREU


E foi no mesmo dia em que, nove anos atras, o Rabin morreu.
Ja vai tarde
O Arafat estah em coma. Serah que agora ele vai?!

Acompanhem pelo Haaretz, pelo JPost, pela Folha, pela CNN, no El Pais, no Le Monde, na Veja, no Ultimo Segundo, pelo New York Times, pelo Terra...

Noticia boa nao eh sempre que da...

2.11.04

Infancias roubadas
O terrorista suicida que se explodiu ontem no shuk em Tel Aviv e matou tres israelenses, deixando 32 feridos, tinha dezesseis anos. Declaracao da mae dele, publicada hoje nos jornais: It's immoral to send someone so young. They should have sent an adult who understands the meaning of his deeds. Sem comentarios...

Ainda sobre criancas: a primeira noticia que ouvimos em hebraico no radio ontem (todos os dias escutamos as noticias, para praticar o idioma) dava conta de que 20% das criancas entre 12 e 18 anos em Israel vao dormir pelo menos uma vez por semana com fome. Eh o resultado de uma pesquisa feita em todo o pais.

Infancias roubadas...

1.11.04

Falta de educacao
Confesso que tem sim coisas que me deixaram saudade do Brasil. Uma delas eh a educacao das criancas. Nao que as brasileiras sejam as mais educadas do mundo, longe disso. E nem que as israelenses sejam as piores, todas elas. Mas ha aqui alguns exemplares animalescos de pirralhos.

Hoje, sentado fora do ulpan, tomando ar (frio), tomei uma bolada nas costas. Coisa normal, nenhum crime, porque estava sentado perto de umas criancas que jogavam bola, mesmo. Mas voltou a acontecer, e como sou um pouco menos bobo que eles, entendi que nao foi acaso.

Nao entendo muito de psicologia infantil, mas o fato de ter um irmao ajuda. Entao, quando pela terceira vez eles chegaram perto para me encher, peguei a bola. Primeira surpresa: o carinha, com "todo" aquele tamanho, gritou comigo!

- Ma ata osse? (O que voce estah fazendo?)

Devolvi a bola, claro. Na hora, morrendo de medo! Mas eles resolveram provocar, vieram os amiguinhos e tal. Comecaram a dizer coisas que nunca ouvi de criancas da idade deles. Uma coisa eh certa: que falta fazem umas porradas...
Outro mais
Tem um lugar em Tel Aviv que eu adoro visitar, quando vou pra la. Eh o shuk ha Carmel, mercado livre onde se compra e se vende de tudo. Eh uma confusao organizada, gente por todo lado, promocoes das melhores, comida tipica daqui...

Hoje um suicida se explodiu la. Tres pessoas morreram, pelo menos 20 estao feridas, 4 em estado grave.

Volto a bater na tecla de ontem:
Military Intelligence chief: Arafat's death may end intifada

31.10.04

Previsao
E se ele estiver certo? Voce tambem nao vai torcer pela morte do Arafat? Ou voce eh dos que preferem a continuacao da intifada?
O dia em que o jornal nao veio
Nao eh assinatura, mais parece um presente. Deve ser, e como presente, nao se pode reclamar. Todo dia recebemos no ulpan alguns exemplares do Herald Tribune e do Haaretz em inglez, encartado. Noticias em ingles, de graca, na porta do ulpan, cedinho. Mas hoje o jornal nao veio.

Nao eh que eu nao viva sem jornal. Eu apenas nao vivo sem jornal! Por isso, depois da aula, curioso para saber o que anda pelo mundo (se o Arafat ja tinha morrido, coisas assim), fui dar uma volta no quarteirao para procurar o jornal. Achei, um ultimo e esquecido exemplar, por nada menos que NIS 8,50 (R$ 5,50). Comprei, porque nao vivo sem jornal!

Quando voltei, o povo ja estava acabando de almocar. Sentei, ja tinha lido algumas manchetes (Arafat said to have lost mental capacity [+]), fui comer. E, quando vi, algumas pessoas estavam esticando o pescoco para ler o que podiam. Emprestei o jornal, eh claro. E fiquei pensando... Nao sou o unico que nao vive sem jornal!

Coisa de israelense
Fui andar, a tarde, para comprar um cobertor (vai comecar a esfriar aqui), um cuncum (para esquentar agua) e um radio-relogio (queimei o meu na primeira semana aqui...). Andei, andei, acabei nao comprando nada. Nao achei! Mas quando estava chegando em um shopping aqui perto, ouvi sirene de bombeiros. A viatura veio, parou na porta do shopping e os bombeiros entraram.

Entrei atras, levado pela curiosidade...! Fumaca por toda parte, porque um restaurante estava (ou tinha estado) em chamas. E, por toda parte, gente andando, como se nada! Como todos, segui caminhando, no meio da fumaca. E notei que ninguem sequer se incomodava com o fato - apenas com o cheiro da fumaca... Coisa de israelense!

30.10.04

Novembro, mais um mes...
Estah chegando novembro. O quarto mes desde que cheguei. O penultimo mes do ulpan. E isso significa, na pratica, que na semana que comeca amanha (a semana aqui comeca no domingo) comeco a procurar apartamento... Afinal, dia 15 de dezembro temos que sair daqui, e comecar a viver a real life do ole chadash, do imigrante: trabalho, apartamento, aluguel, contas, impostos...

Ao mesmo tempo que sinto um enorme alivio (eh complicado viver em um quarto com mais duas pessoas, de culturas e habitos diferentes, comer uma comida sem gosto, ver sempre as mesmas caras etc), da um medo enorme. Afinal, 15 de dezembro nao estah longe! E, nessa data, terei que ja ter alugado um apartamento, arrumado moveis pra ele, e, mais importante de tudo: conseguido grana pra bancar a coisa toda...

Real life, ai vamos nos...

29.10.04

Chove, chuva
Ontem a noite ja se podia sentir no ar o cheirinho de chuva. Durante a madrugada, deitado sozinho no meu quarto e ouvindo Louis Armstrong, escutei trovoes, relampagos. Nao foi uma garoa, foi um toro (como diria a minha mae!). E choveu, choveu, choveu...

Agora, resfriado.

And I think to myself
What a wonderful world...

28.10.04

Mataram o Sharon!
Eh, mataram o Sharon... Mas nao foi nenhum terrorista palestino ou qualquer israelense fundamentalista, e sim um jornalista desavisado! Saiu na edicao impressa do Haaretz de hoje um texto em que se le, la no meio:

"Speaking at Sharon's grave on Mount Herzl in Jerusalem, Sharon expressed regret for any harsh words he may have spoken to Rabin in anger."

Enquanto o Sharon estah bem vivo e protegido, sempre cercado de muitos segurancas, o Arafat (dependendo da fonte) nao goza da mesma situacao... Tem o que se chamou em ingles de stomach flu.

E, como diz o Nahum Sirotsky, "a verdade nua e crua eh que o Oriente Medio e as grandes nacoes temem o que poderah acontecer se o lider palestino nao sobreviver a sua doenca".

Ele continua: "A questao eh que ele jamais indicou um herdeiro para o seu poder. Nos sistemas autoritarios designar herdeiro nunca eh inteligente. Estimulam-se os apetites do batizado e de competidores abertos ou escondidos. A questao do substituto nao eh de quem se foi".

27.10.04

A soldada que nao sabe quem foi Golda Meir
Foto by NaniHoje estive no tekes (cerimonia) de lembranca da morte do Izhak Rabin, como contei ontem. Passaram-se nove anos, parece que foi ontem. Eh verdade que naquela epoca, 1995, eu nao era um grande ativista comunitario (so ia pra Hebraica jogar bola). Mas me lembro bem da sensacao que ficou quando chegou a noticia... Uma mistura de desesperanca e de traicao... E la se vao nove anos.

O ato de hoje foi no Har Hertzl, onde Rabin, como muitos outros personagens importantes da politica israelense, estao enterrados. Quero deixar pra depois a narracao do evento. O fato eh que quase ao lado do tumulo do Rabin estah o da ex-primeira-ministra Golda Meir, que morreu em 1978. Conversando com uma soldada de 19 anos, ouvi dela: mi zot, Golda Meir? Como assim, quem eh ela? A soldada, israelense, nao sabe quem foi Golda Meir... Tragico.

Bom, o evento foi... demorado. Principalmente porque, como fui representando a Organizacao Sionista Mundial e a Agencia Judaica (ufa!), tive que chegar duas horas antes do inicio (pra que nao sei...!). Depois dos passos ensaiados (acho que era pra isso, mas nao tomou mais que dez minutos), o evento...

E o legal (se eh que algo pode ser "legal" em um evento recordatorio de morte), foi ter visto personalidades como o primeiro-ministro Ariel Sharon (jurado de morte, cercado por 14 segurancas), o presidente Moshe Katsav, o prefeito de Jerusalem Uri Lupoliansky, o lider trabalhista Shimon Peres, o presidente da Sochnut Salai Meridor, o ramat kal Moshe Yaalon, ministros, deputados, embaixadores...

Depois, um falafel na kikar Tzion e voltar pra casa. Com o mesmo medo de que as coisas podem desandar. O clima estah tenso em Israel...

Em breve, fotos.

26.10.04

Rabin, Gaza
Nove anos depois, amanha se relembrara a morte do Izhak Rabin, por um fanatico israelense judeu. Estarei no cemiterio onde ele estah enterrado, representando o ulpan em uma cerimonia oficial reservada. Eh dificil, num dia como o de hoje, nao pensar na relacao entre aquele novembro de 1995 e o novembro que estah para comecar.

Votou-se (e aprovou-se) hoje o plano de desconexao do Sharon. Em poucas palavras: o plano de retirada dos assentamentos (e dos colonos judeus, eh claro) de Gaza e de algumas regioes da Cisjordania. Nos ultimos dias nao se falou em outra coisa em Israel, apenas na tochnit hahitnatkut, o nome em hebraico.

A importancia desse plano, eh clara: sair de territorio que nao tem nada a ver com Israel, evitar a morte de mais e mais soldados que dia apos dia devem cuidar da seguranca de colonos que estao ali apenas por ideologia religiosa e, no fim do dia, dar um passo de boa vontade e concreto no conflito com os palestinos.

O programa de Sharon, acima de tudo um compromisso assumido com o presidente Bush, tem vasto apoio entre a populacao israelense. Falando por MSN com uma garota de Haifa, que eu conheci por acaso e por culpa do Orkut, ela me explicou o que pensa: I want to go out from there and (from) all other places as well... I don't think we have something to do there...

Como ela, 60% dos israelenses, o que equivale a 3,6 milhoes de pessoas, apoiam a retirada. Mesmo assim, e por isso eh inevitavel pensar nisso num dia como hoje, sao contra ela os colonos, eh claro, que serao removidos de suas casas, e parte dos israelenses que vivem fora de Gaza (somam ao todo 1,6 milhao de pessoas).

A data de hoje, em que se relembra a morte de Rabin por ter feito algo que Sharon conseguiu hoje, com a aprovacao na Knesset, o parlamento, de seu plano, remete ao que aconteceu nove anos atras. Como Rabin, o primeiro-ministro atual estah sendo ameacado de morte, ate. A frase eh do ministro de Defesa, Shaul Mofaz: We do not know if there is today another loaded weapon waiting to again strike Israeli democracy.

O plano estah aprovado. Os dados estao lancados. Agora basta esperar para ver a que ponto chegaremos.
Fotos novas
Tem fotos novas, do curso da Mada e do fim de semana em Tel Aviv.

Deixem comentarios!

25.10.04

Crazy
But we're never gonna survive unless
We get a little crazy
No we're never gonna survive unless
We are a little
Cray cray crazy


(Mais do mesmo, porque ja postei esses versos aqui. Razao nao falta!)
Globo e voce, tudo a ver
Nunca achei que ia ter saudade da televisao brasileira. Mas hoje recebi um link e passei a assistir a Globo, com qualidade que deixou a desejar. Mas o som eh perfeito, e foi nostalgico ouvir o tradicional "plim-plim"!! Isso vai ser por pouco tempo: soube hoje que estao negociando para retransmitir o sinal da Globo Internacional pela Yes e pela Hot, as empresas de cabo daqui. Dentro de alguns meses poderemos assistir a Globo pagando algo como R$ 25 por mes!

24.10.04

Magro
Sim, estou magro. Mais magro. Mas voces nao precisam ficar dizendo isso sempre que me espiam pela webcam, po!!!

PS.: a esse proposito, uma coisa engracada: em geral, homens emagrecem ao chegar em Israel; mulheres engordam...

23.10.04

Tel Aviv! Ah! Tel Aviv
Eu e outros brasileiros do ulpan estivemos em Tel Aviv em um fim de semana com direito a churrasco, farofa Yoki, musica brasileira, dancar forro, muito papo em portugues, cerveja (ok, nao era nenhuma Brahma, mas era cerveja!), caipirinha (com vodka, fazer o que?!), fotos... Divertido pacas. Especialmente porque metade das pessoas que estavam la nunca tinham se visto na vida! Coisas que so a internet faz!

Mada
E eu nao vou ser paramedico ou sequer voluntario da Mada. Nao passei nas provas, nem na teorica, nem na pratica. Botei uma coisa na minha cabeca: mexer com saude nao eh pra mim. Nao "bombei" por nao saber. Bombei por nervosismo. Nao quero prejudicar a saude de ninguem por nervosismo!

20.10.04

E o meu shutaf vai casar
Tem uma historia que eu nao contei aqui, de uma coincidencia enorme. Quando cheguei no ulpan, na metade de julho, acabei caindo por acaso no quarto do Jeremy, um americano de Tucson, Arizona, que eu ja conhecia do ano passado, de uma viagem que fiz pelo Hillel.

E o Jeremy, meu shutaf (companheiro de quarto), vai casar! Vai casar com a Sofi, da Franca, que ele conheceu aqui. Ficaram noivos ontem, depois de uns dois meses entre indas e vindas (pra Paris, no feriado de Sucot!). Eh o ulpan Etzion promovendo unioes!!!

19.10.04

Ha dois anos
Faz dois anos que eu fui embora de Israel. Era um outono chuvoso. Na verdade, depois de seis meses aqui, choveu pela primeira vez naquele dia. E choveu muito, choveu pra cacete. Eu escrevia um diario, na epoca. Contei quase cada um dos 182 dias que passei aqui. No dia de hoje dois anos atras, so uma palavra: "pousamos".

Dois anos depois, estou de volta aqui. E nao penso em voltar pra la.

E a Vila Olimpia pirou
Caramba! O que estah acontecendo no meu ex-bairro? Arrastao e atropelamento?!

17.10.04

A ajuda que vem por email
Estou faz tres meses aqui. Tres meses atras estava no Brasil desesperado de medo, cheio de duvidas e ansiedades, curiosidade e com uma vontade imensa de chegar logo, so.

Coisas de mundo moderno, quem estava aqui ja ha algum tempo me mandou dicas, preciosas, pra quando eu viesse. Duvidas vieram para Israel, dicas foram para o Brasil, sem parar, durante alguns meses. Muito teria sido diferente se nao tivessem me avisado de um monte de coisas.

Agora, so tres meses aqui, sou eu quem mando as dicas, la pro Brasil, pros proximos que vao ocupar os quartos do ulpan, comer (e reclamar, como eu!) a comida daqui, comecar vida nova nesse pais maravilhoso, cheio de desafios que ora nos abracam, ora nos amedrontam. Os emails nao param de chegar, de gente de que eu nunca ouvi falar e com quem, certamente, estarei "em kesher" no proximo semestre.

Adoro quando chegam esses emails. Adoro ver que essas pessoas, hoje desesperadas de medo, cheias de duvidas e ansiedades, curiosidade e vontade de vir logo, dentro de tres meses, so tres meses, estarao aqui, dando conselhos pros proximos...

Eu sei, aconteceu comigo!

Boa sorte aos proximos aventureiros!
O poder de uma kfia
Estive ontem no bairro arabe da Cidade Velha e resolvi comprar uma kfia (o lenco que o "cara" usa na foto). Depois de levar, tendo negociado e reduzido o valor a menos da metade, comecei a me arrepender. Para que, afinal, tinha comprado aquilo?

Hoje, no almoco, descobri: comprei para gerar uma discussao politica aqui no ulpan. Primeiro, quero esclarecer fatos: a kfia eh um simbolo religioso muculmano que equivale a kipa para os judeus. Nem todos que usam sao terroristas e nem todo terrorista usa uma...

Mas nem todos sabem disso, descobri. Ao ver um dos brasileiros daqui, o Carlinhos, vestindo a kfia (para provocar, mesmo), um frances religioso, que trabalha no Mada, abriu o berreiro. O argumento dele: em atentados terroristas (e - fez questao de ressaltar - ele ja esteve presente em dois), o suicida veste a kfia.

Ao ver a cena, pasmo, aprendi um pouco da dificuldade que a palavra "entendimento" tem para entrar na cabeca das pessoas. E entendi que fundamentalismo existe mesmo dos dois lados. Nao consigo dar outro nome a um cara que age como agiu o frances: fundamentalista.

Pena existir gente assim tambem entre os judeus. Fico envergonhado.

16.10.04

Foto eh foda
Dias atras meu nick no MSN era "Gabo [em Jerusalem], FOTO EH FODA". E eh mesmo. Estava fucando fotos, das que eu consegui colecionar publicando no OFoto, e das que me mandaram, e quase cai no choro.

Como eu ja disse, saudade eh a pior parte. Fotos so agravam tudo.

12.10.04

Sabino
Quis comprar o livro novo do Sabino, Os Movimentos Simulados. Entao, que fiz? Fui ao Submarino, onde descobri que ele custa meros R$ 29,90 (quando se vive em Israel aprende-se uma coisa: tudo no Brasil era muito barato).

Efetuei o cadastro novo (com meu novo endereco, afinal!), segui todos os passos ate a ultima tela, a do pagamento. La, descobri que alem dos R$ 29,90, cobram nada menos que R$ 120 (cento e vinte reais!) de taxa de entrega. Nao comprei: ia ser o livro mais caro da minha biblioteca!

Enfim, fica a dica pra quem quiser me dar um presente. Os Correios cobram bem menos!

Ao terminar a leitura dos originais deste seu romance escrito aos 22 anos de idade, o autor daria tudo para saber a opiniao dos tres melhores amigos de sua vida inteira. Ao segundo uisque, resolveu interpela-los na eternidade onde se encontraram:
- Voce, Otto, nao acha que devo publicar o livro tal como estah, sem modificar nada?
Otto Lara Rezende concordou, mas discordando, com era de seu feitio.
- Voce tem razao. So acho que talvez seja o caso de fazer no texto uma cuidadosa revisao...
- E voce, Helio?
Helio Pellegrino nao perdeu tempo em reagir, la dos espa?os etereos, naquele jeito todo seu:
- Cuidadosa revisao coisa nenhuma! O livro nao eh seu, Fernando, e sim de um rapaz de 22 anos, que voce foi e nao eh mais. Acho que tem de publicar tal e qual, sem tirar nem por!
Paulo Mendes Campos continuava calado, tomando o seu uisquezinho. Mas, interpelado pelo autor seu amigo, acabou confessando para si mesmo:
- Nao digo nada, estou arrasado, na maior inveja. Quem me dera ter uma obra minha escrita pelo jovem de 22 anos que eu fui e nunca mais serei.
Chamem um paramedico!
Depois de garcom e de faxineiro, agora estou brincando de ser paramedico. Na verdade, eh uma brincadeira seria. Estou fazendo um curso da Mada, ou Magen David Adom, o servico unico de atendimento a emergencias medicas de Israel desde 1956.

Ate o final da semana que vem, se eu me der bem na prova (o que significa tirar pelo menos 8), vou ser paramedico! E passarei a atuar nas ambulancias da Mada como paramedico voluntario.

Enquanto isso, apoie a Mada! Ou visita o site em hebraico.

11.10.04

Os grilos nao cantam mais
Morreu Fernando Sabino. Eh dos autores que coloriram a minha infancia, com contos publicados na colecao "Para gostar de ler", que eu adorava. Estranho esse negocio de morrerem idolos da nossa infancia. Hoje tambem morreu Christopher Reeve, o Superman.

100 dias
Faz cem dias que estou aqui. E hoje choveu em Israel. Teve ate arco-iris aqui em Jerusalem!

10.10.04

A gente chora de saudade
Te busque en el armario, en el abecedario, debajo del carro, en el negro y en el blanco, en los libros de historia, en las revistas y en la radio...

A gente chora de saudade, mesmo. Chora ao ler uma carta, como as que eu li, da minha irma, namorada, prima, dos meus amigos no caderno que eu deixei para que escrevessem no dia da minha festa de despedida. E chora quando desliga o telefone e era a mae, contando as novidades e dizendo do amor dela. E chora ao ler um email, so porque imagina aquilo que relatam acontecendo na nossa vida que nao eh mais a nossa...

Estou ha tres meses aqui. Tres meses e quatro dias, exatamente. E nesse tempo, de muita saudade, vi gente chorando muito, lagrima pra todo lado. Gente chorando no computador, ao telefone, ou parado no meio do ulpan com uma carta na mao.

Saudade eh a pior coisa da aliah. Nao tem nada pior. Nem a comida dura de se acostumar, nem a vida cara, nem os israelenses mal-humorados, nem a sensacao de que o hebraico nao avanca (embora avance, sim!), nada...

Tenho saudade. Choro de saudade.
Vivo
Rapido: estou vivo, bem. So fiquei dias sem internet, isolado do resto do mundo. Com mais tempo conto as novidades.

3.10.04

Respeito
"A partir do momento em que nao ha respeito... poxa, nao da pra fazer nada"

O tema eh mesmo, entao, arabes, muculmanos, e tudo isso. Nem acreditei na repercussao que o meu post (e o email que eu mandei, ainda mais azedo), gerou. Bom, bom...

E hoje ouvi de uma pessoa de quem gosto muito, que mora no Brasil mas eh uma mistura de Italia, Alemanha, Suica, Portugal e Libano (e crista de religiao), a frase acima.

E tenho que concordar com ela, afinal.

E vamos botar um ponto final nessa historia. Cada um que fique com aquilo em que acredita. No que eu acredito voces ja sabem.

2.10.04

MPB
Ta, vamos falar de coisas boas, tambem. Confesso que o azedo esteve forte no ultimo post. Nao foi a toa, nao eh a toa. Se alguem pensa em vir para Israel, e eu acredito que muita gente pensa mesmo em vir pra ca, tem que ter em mente que a coisa eh assim...

Bom, das coisas boas, nunca pensei que a sigla MPB poderia fazer tanta falta! A sigla e as musicas populares brasileiras! Mas, nada como ter uma senha do UOL para ouvir a RadioUOL (ou nada como ter uma pessoa especial que tenha e empreste a senha!).

Vai, minha tristeza...
E diz a ela que sem ela
Nao pode ser...

Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu nao posso mais sofrer...
Cada um na sua...
Nao eh que eu odeie arabes. Sou politicamente correto demais pra fazer uma generalizacao dessas. Eu so nao quero mais trabalhar um segundo sequer ao lado deles. Simplesmente porque sao folgados, nao tem educacao e abusam da boa vontade alheia. E foda-se o "ser politicamente correto".

E se fosse so isso, tudo bem. Mas nao eh. "Eles" ainda se explodem e matam israelenses, fazem coisas assim. E mandam misseis e matam criancas. Da pra nao ficar revoltado?!

28.9.04

Garcom, Sheraton Plaza
Don't listen to her!
She is a bitch...
And you were awesome!


Essa frase nao saiu da minha cabeca. Eu a ouvi, hoje, depois de trabalhar cinco horas como garcom no hotel Sheraton Plaza, um dos mais sofisticados aqui em Jerusalem (e, sabemos, no mundo!). Quem disse? Uma das garconetes que trabalharam comigo, a Moran, depois do meio-esporro que ouvimos (o Daniel e o Juliano trabalharam comigo) por "sermos lentos" - foi nosso primeiro dia!

E, devo confessar, AMEI o dia de trabalho no Sheraton. Ganhei ate tip! O mais divertido foi ter trabalhado com gente da minha idade, num clima super amigavel... Aprendi a fazer cafe, a servir como se deve, arrumar as mesas...

Ta, ja sei que nao eh o trabalho que eu (e a maioria de voces!) pediu a D-s. Mas a grana eh boa, muito boa. E eu me divirto, o que eh mais importante. E, quem sabe, um dia desses aparece por la um jornalista, fica sabendo que sou colega de profissao e nao acaba me contratando... Sonhar nao custa nada...

Brasil
O que eh que estah acontecendo no Brasil, hein?!

27.9.04

Mendigo sim, mas sem medo
Israel tem mendigo, sim, nao adianta dizer que nao.

E hoje aconteceu algo muito doido. Estava eu a noite sacando dinheiro da minha conta nova, no Hapoalim. Aqui, diferente do Brasil, os caixa eletronico ficam na rua, nao dentro de cabines fechadas...

Quando fazia o saque, ouvi uns garotos, de menos de 18 anos, conversando com um mendigo que estava deitado ali ao lado. A minha surpresa: eles traziam agua, suco, comidas doces e salgadas.

26.9.04

Momento mensagem
Por que mel em Rosh Hashana?

Se te perguntassem por que voce mergulha a maca no mel em Rosh Hashana, sua resposta provavelmente seria "para ter um ano doce".

Entao eu te perguntaria: Por que mel? Por que nenhuma outra coisa doce, tal como geleia, acucar etc. A resposta que ouvi quando era um garoto era muito fascinante.

Voce sabe como o mel eh produzido? A abelha tem que trabalhar, trabalhar e trabalhar, arduamente. Ela vai de flor em flor o dia todo, dia apos dia.

Qual eh a moral da historia?

Se voce quer um ano doce e bom, tem que trabalhar por ele! Tem que trabalhar como uma abelha. Nao eh so molhar a maca em algo doce na esperanca de um ano bom. Voce tem que fazer acontecer -- como a abelha.

23.9.04

Yom Kipur
Amanha eh Yom Kipur. Dia do perdao, de jejum, de pensar nos erros... E dia em que nada, absolutamente nada, funciona aqui. Internet nao eh excessao, entao so na semana que vem apareco por aqui.

Gmar Chatima Tova.

Tzom Cal para quem jejua.

22.9.04

Ma noticia, de novo
Tem duas maneiras de ficar sabendo de um atentado aqui em Israel. Uma delas eh acompanhando as noticias. De hora em hora, pontualmente, ou sempre que acontece algo importante, as noticias entram no ar em rede nacional de radio.

A outra maneira, tipica israelense, eh o telefone. Quando um atentado ocorre, como o de hoje aqui em Jerusalem, os telefones nao param de tocar, em busca de noticias.

Eh uma rotina: quem mora em outra cidade e lembra que voce mora ou trabalha ou estuda perto de onde rolou o pigua, liga pra saber se voce estah bem. Quem fica sabendo antes liga pros outros, pra se tranquilizar...

Meu telefone nao parou de tocar hoje a tarde, e foi assim que eu fiquei sabendo do ataque. Dois mortos, uma dezena e meia de feridos nas vesperas de Yom Kipur... La perto da "minha" universidade...

21.9.04

Contemplar
Tem uma coisa especial na yeshiva onde (ainda) trabalho. No ultimo andar do predio dos dormitorios (sim, ha dormitorios, e onde ha dormitorios ha banheiros, e muitos!) tem um terracao. Do terracao da pra ver, la longe, o Har Hatzofim, o Monte Scopus, onde fica a "minha" futura universidade.

Por alguns momentos, quando estou comecando a trabalhar, paro, olho pra la e fico pensando no dia em que, finalmente, depois de hebraico e arabe bem aprendidos, vou poder tirar as aspas quando escrever, de novo, "minha" universidade. Vai demorar um bocado, ainda, de toda forma...

De resto, nao muita coisa. Faxina, aulas, aulas, faxina. E de hoje para amanha acaba o horario israelense de verao, o que significa que Israel e o Brasil ficarao uma hora mais proximos. A distancia vai passar a ser de 5 horas agora.

16.9.04

O rito do ano novo
Existem muitas diferencas entre as comemoracoes de ano novo na Diaspora e aqui em Israel. Mas a mais gritante delas eh que aqui sente-se mais forte o feriado. Na verdade, Rosh Hashana em Israel eh todo um rito.

Como bom israelense, sai atrasado de casa. Isso, num dia de chag, de feriado, pode representar a diferenca entre estar com a familia ou passar sozinho. Conforme vai escurecendo, as coisas, todas as coisas, vao fechando e parando de funcionar.

No onibus as pessoas usavam seus telefones celulares (todo bom israelense tem um, e eu nao sou excecao!) para desejar shana tova, um bom ano, a quem tinha esquecido de ligar, mandar SMS ou algum email. Eu fiz pelo menos 20 ligacoes...!

Dia de chag eh dia de transito em Israel. A viagem de hora e meia entre Jerusalem e Haifa, levou quase tres. Quando cheguei na cidade portuaria, no norte do pais, ja era tarde para tomar outro onibus - eles ja tinham parado de circular.

Mas existe o tal "espirito de fim de ano" e o motorista de um monit sherut, especie de van que funciona como taxi coletivo, resolveu levar os dez passageiros que cabiam no carro dele de porta em porta. Caro? Nao! Saiu por R$ 9 para cada um.

Ufa! Quase noite (o que marca o inicio dos feriados judaicos), cheguei na casa da minha familia, em Kiriat Haim, pertinho de Haifa. A partir dai, o rito familiar de Rosh Hashana: comida, fofocas, comida... E eu conheci gente que nem sabia que existia!

Shana Tova a todos. Shnat ahava ao meu amor.

14.9.04

Pictures/ tmunot
(Esse post eh para a galera aqui do ulpan!)

The pictures of the tiul are here!

Ha tmunot shel ha tiul hen po!


CHAG SAMEACH
SHANA TOVA UMETUKA

11.9.04

Fim de semana em Tel Aviv
Passamos um fim de semana maravilhoso em Tel Aviv, Ramat Gan e Hertzelia Pituach, cidades da regiao central de Israel. Foi um fim de semana com direito a praia, muito sol (estou ate meio queimado!) e strogonoff!!! As fotos estao aqui.

E ha fotos novas da viagem ao norte do pais aqui.

9.9.04

Conhecer para amar
Uma das melhores coisas do ulpan eh poder viajar com todo o grupo pelo pais, conhecendo cada canto daqui. Ontem e hoje estivemos no norte de Israel, visitando um monte de lugares. Estou agora em Ramat Gan, na casa da Juliana Stroh, morto de cansaco. Depois conto mais! As fotos da viagem estao aqui.

1.9.04

Dia primeiro
Hoje, primeiro de setembro, eh primeiro dia de aulas nas escolas e foi meu primeiro dia no meu primeiro trabalho em Israel. Isso mesmo, meu primeiro trabalho em Israel!

Nao estou contando as duas vezes que trabalhei como garcom (uma delas ontem), porque foram "frilas"!! Alias, nunca contei que nas duas vezes que atuei como meltzar derrubei e quebrei coisas! Na primeira, em Cesareia, foram ao chao 25 tacas. Ontem, aqui em Jerusalem, pelo menos uns cinco pratos. Cacos e esporros a parte, foi divertido!

O trabalho que tenho agora nao eh o melhor de todos. Nao tem nada a ver com o que a minha profissao. Nem exige muito QI... Mas me tira do marasmo e dessa coisa terrivel de ficar horas sem fazer nada todos os dias. Sou faxineiro, em uma yeshiva e ganho muito bem, obrigado!

Ser faxineiro (ou garcom...) da o que pensar. Pela primeira vez na minha vida estou sendo uma dessas pessoas invisiveis que cruzamos toda hora sem notar. Eh esquisito estar "desse" lado.

Aulas... Primeiro de setembro eh o dia oficial de inicio do ano escolar em Israel. E, depois dos atentados de ontem, a vida volta ao normal, tambem com os pais levando as criancas para estudar (e detonando o transito).

Ao lado do ulpan tem uma escola. Na saida dos alunos, uma cena linda: todas as criancas com baloes coloridos na mao, cantando musicas israelenses. De repente, soltam os baloes... Aula de esperanca vinda das criancas...

E a vida continua...

31.8.04

Ma noticia
Acaba de acontecer um atentado em Beer Sheva. Mais informacoes no Haaretz.
Lugar certo, hora certa
Voce ja leu o Jerusalem Post hoje? Quem, como muitos de nos aqui no ulpan, leu a versao impressa do jornal pode me ver na capa. Nao consegui a foto digital, mas quando conseguir coloco aqui. Por enquanto tenho outras, e vou coloca-las mais tarde no blog-flog!

Explicando: ontem estive no aeroporto Ben Gurion, na recepcao aos atletas israelenses, entre eles o Gal Fridman, que levou o primeiro ouro da historia de Israel. Fui para uma coletiva de imprensa que rolou ali, depois da cerimonia de boas vindas. E, como nao podia deixar de ser estando tao perto do iatista, sai na foto que o JPost publicou na capa...!

26.8.04

Iomuledeto
Aba faz anos, o azar e so dele... Felicidades, 'seu' Andre. E chega logo!

PS.: aqui ja passou da meia-noite (faz tempo!)
Tudo limpo
Gostinho de missao cumprida eh otimo. Mas amanha comeco outra. E no domingo comeco a trabalhar aqui em Jerusalem, finalmente. Conto no que pra quem tiver se retorcendo de curiosidade, so.

25.8.04

O primeiro ouro
Foi do caralho! Confesso que nao entendo nada das regras de vela, mas foi lindo ver o israelense Gal Friedman ganhando (mesmo que tenha sido do brasileiro Ricardo dos Santos, que acabou ficando em quarto lugar).

E, com essa medalha, Israel tem seu primeiro ouro olimpico! O ulpan parou para ver a competicao e a entrega das medalhas! Foi emocionante!

Curiosidade: "gal", em hebraico, significa "onda". Ele nao podia ter nome melhor!

24.8.04

Hoje sou so shofar
Estou no meio de uma materia sobre shofar para a Revista 18. To com aquela maldita sensacao de sempre de que nao vou acabar no prazo. Mas deve ser porque o prazo eh amanha e eu so tenho 1,5 mil toques dos 8 mil que preciso. Eh sempre assim...

Mas pelo menos recebi ajuda internacional: uma entrevista do Brasil e um brainstorming do Mexico! Agora preciso dormir. Sao 3 e meia da manha. Tem coisas que nao mudam nunca!

Never drink again
Em tempo, tenho um novo velho lema... Depois da festa de ontem e do que meu estomago passou, never drink again!!! Ate parece...!

21.8.04

Shlomo Artzi, um show
Eu ja conhecia, de ouvido, as cancoes do Shlomo Artzi. Tambem ja tinha ouvido falar no famoso show que ele faz, todos os veroes, a preco de ouro, em Cesareia, uma cidade a beira da praia no norte do pais, em meio a ruinas romanas... Entao, quando soube do show que ele faria em Jerusalem, vinte minutos de onde moro a pe, quis imediatamente ir!

Mas hesitei, vendi o convite que tinha comprado e acabei comprando outro na porta, de um cara que desistiu no ultimo segundo (nao havia mais entradas na bilheteria!). Nao me arrependi, apesar nos NIS 90 (US$ 20) gastos!! Foi sensacional. Embora nao conheca de cabeca a maioria das letras, me diverti muito. O cara eh muito bom! Tenho fotos mas so no domingo poderei coloca-las no flog-blog.

Mc Kabab`
Sexta de manha, depois de resolver burocracias no Leumi, o meu banco, fui ao Mc Donald's, coisa que nao se faz muito por aqui por conta do preco. Eh muito caro...! Mas de vez em quando, conhecendo pessoas novas e passeando com alguns amigos, vale a pena. E - coisa que so aqui - comi um McKabab, um sanduiche feito com a iguaria arabe kabab, carne moida e temperada grelhada. Delicia!

19.8.04

O judaismo de cada um
Uma coisa muito comum de encontrar em um mercaz klita como o em que eu estou vivendo eh uma variedade enorme de "judaismos". Claro! Sao pessoas vindas de todos os cantos do mundo, como eu ja contei, com bagagens culturais e religiosas diferentes.

Isso acaba gerando alguns "estresses"... Tem gente que nao estah nem ai pra respeitar o shabat, por exemplo. Outros rezam todos os dias, se reunem para as tres rezas do dia. Alguns sao sionistas, outros estao aqui por razoes outras. Uns amam Israel incondicionalmente, outros menos. Uns tem posicao neutra com relacao ao conflito, outros sao fundamentalistas...

No final das contas, o que rola aqui eh o que rola no pais inteiro. Israel eh uma mistura de varios judaismos, de varias crencas, de muitas religioes dentro de uma so. E eh fato, ainda, que eh uma mistura de muitas outras religioes onde isso tambem rola... Pode ser que eu soe poeta demais. Mas acho que eh isso que faz de Israel o colorido arco-iris que eh.

18.8.04

Fotos novas
Mais fotos no flog-blog. Enjoy!
Jogos olimpicos
Fiquei chocado com a noticia do lutador de judo que reivindicou da disputa com um atleta israelense, dia desses. Tao chocado que nem me animei a escrever a respeito antes, mas eh dificil entender e ficar calado. Para quem nao sabe do que estou falando, um breve resumo: nas Olimpiadas de Atenas, que estao rolando, um iraniano se negou a lutar contra um israelense.

O que mais me assustou foi ler que "eh politica do Comite Olimpico Iraniano nao disputar qualquer esporte contra atletas do 'Estado sionista'". Fiquei em choque, mesmo. Especialmente porque alguns dias antes, na sexta-feira, vi com comocao a abertura dos jogos, quando as delegacoes desfilaram orgulhosas suas cores e bandeiras nacionais.

Quem estava aqui no ulpan pode ver o orgulho, estampado de maneira especial no rosto de cada um, ao ver a delegacao de seus paises entrando e sendo anunciada no ininteligivel grego. Os americanos, mais nacionalistas, ficam de pe para ouvir o hino. Os brasileiros fazemos festa com o verde-e-amarelo. Uns mais timidos, outros menos, todos se orgulham com os atletas do pais distante.

E o espirito esportivo, esse espirito que parece ser apenas teorico, foi enterrado com a atitude do iraniano. Eh sabido que o Ira nao tem em Israel seus melhores amigos. Mas nunca pensei que o extremismo deles pudesse chegar ao esporte. E a coisa eh oficial, o atleta recebeu 115 mil dolares por ter desistido da disputa.

Que infelizes sao os que vivem em ditaduras, que nao tem escolhas, que sequer podem optar por competir, depois de tanto treino e dedicacao apenas por imposicoes politicas de um governo fundamentalista...

E eu estou chocado, a poesia que me tinha de regresso falta nessas horas.

17.8.04

Passeio
Tem coisas mesmo que so morando em Jerusalem se pode fazer, como pegar um onibus, ou dois, e em meia hora chegar ao Muro das Lamentacoes. Fiz isso hoje, rosh chodesh (principio de mes) para deixar bilhetes no Kotel. Diz-se que eh um dia especial para isso... Jerusalem eh especial em tudo. Ate nas paisagens, no sol se pondo em um ceu colorido de verao, nas pessoas...

Poesia, aqui me tens de regresso.

15.8.04

Alcool e drogas
Insonia e um laptop com conexao a internet: combinacao perigosa...

Daqui a pouco vou pra aula, nao dormi. Ja eh dia claro em Israel. Foda.

13.8.04

Trabalho e cristaos
É, comecei a trabalhar...! Na verdade, foi um dia só, em um casamento. Mas valeu e pode ser que nos chamem de novo sempre que houver algum novo evento no Sheraton. E, ca entre nos, foi um barato, apesar dos arabes sacanas e do cansaco.

Trabalhamos pacas (outros ulpanistas que estao comigo tambem foram). Mas rimos muito e passamos ótimos momentos! Ao final do turno de 12 horas nao podíamos sequer levantar o braco...

Resistimos, estamos vivos e é isso que importa! E, melhor de tudo, corremos o risco de estar empregados. O mais lindo de tudo foi o local do casamento onde trabalhamos como garcons: Cesareia, diante do mar, tempo maravilhoso.

Outra coisa que só por aqui... Uma instituicao crista dá aos imigrantes judeus roupas semi-novas, cabides, roupa de cama novinha, panelas... Fomos lá hoje cedo e voltamos com uma sacola cada um, cheia...

Tem fotos no flog-blog.

12.8.04

Um garcom chamado Gabo
Tive ontem meu primeiro trabalho em Israel, como garcom, no Sheraton. Trabalhei com outras pessoas aqui do ulpan em um casamento religioso que aconteceu em Cesareia, no norte do pais. Laburamos doze horas seguidas...!

Estou morto, sao 5 e meia da manha e ainda nao fui dormir. Queria contar essa experiencia maluca de trabalhar em uma coisa considerada subemprego no Brasil, entre arabes e imigrantes de outros cantos do mundo.

Tenho muito pra contar e vou fazer isso depois, mas queria deixar o gostinho!

11.8.04

O vai-e-vem da tachana mercazit
Tem mais uma coisa que ser israelense provoca: saber quanto tempo vamos levar, considerando pcac (transito) e tudo, para chegar em algum destino. So morando aqui e sendo parte para entender...!

Estou agora na tachana mercazkit de Jerusalem, no alto do predio, usando um micro e com vista para a maluca movimentacao daqui. Imaginem uma Central do Brasil em escala reduzida, com gente de todos os tipos: judeus ortodoxos, mais e menos religiosos, soldados e soldadas, arabes com "burkas"...

Eh uma salada essa minha nova cidade!

9.8.04

Internet, essa maravilha
Todo dia temos aqui duas chances de, entre cotoveladas, usar a internet. Sao 12 micros, 3 deles com webcam, tudo muito bom. Mas somos 150 pessoas, de todo o mundo, cada uma com sua familia longe e todos querendo mandar (e receber) noticias.

Tem uma coisa que acontece aqui quase todos os dias: quando o seguranca vem fechar a sala (que so abre durante quatro horas por dia) tem alguem em lagrimas, escrevendo um email emocionado ou chorando diante da webcam, dando um alo para quem estah do outro lado.

Eh o lado foda da aliah. Deixar a familia, os amigos, um grande amor...
Fotos do jogo, enfim
Tem fotos do jogo no flog-blog!

7.8.04

O amor no ponto de vista ortodoxo
O Shabat passa muito devagar e de forma muito entediante quando nao sabemos aproveita-lo bem. No ultimo Shabat, ontem, aproveitei bem cada minuto. Pela primeira vez desde que entrei no ulpan, em meados de julho, passei o fim de semana fora daqui! E amei. Fui para Beitar Illit, assentamento judaico na Cisjordania, distante nada mais que 15 minutos de carro do bairro onde moro, Baka.

La, entre rezas, respeito integral ao dia de descanso, barbas compridas e gente vestida de preto dos pes a cabeca, conversei muito sobre o amor. Nao apenas sobre o amor sob a nossa concepcao, mas sobre o amor do ponto de vista ortodoxo. Nao concordo com a maioria do que se diz e se pensa naquele mundo que parece tao diferente e distante do meu. Mas admiro a seguranca e a felicidade que sentem quando defendem suas posicoes.

E um conceito me encantou. O de que o numero de almas judias no mundo eh infinitamente menor que o numero de pessoas, de forma que cada alma esteja dividida entre muitas pessoas. Parece conversa de louco! Mas o conceito romantico de metade da laranja passa a ter sentido nessa interpretacao. Nao apenas o conceito romantico, claro, mas o conceito de que dividimos a alma, a neshama, com as pessoas que nos rodeiam e que nos sao importantes.

Ficou a pergunta, e as respostas que eu ouvi nao me convenceram, de como eh que detectamos se aquele individuo, aquela garota, aquele amigo, aquele parente etc sao parte da nossa alma. Talvez apenas sentindo, como me disseram. Mas eu queria algo menos filosofico e romantico e algo mais concreto...

Ha quem deteste a ideia de fazer o que eu fiz: abdicar dos confortos da vida moderna para passar o fim de semana entre ortodoxos. Eu nao me incomodo. Todo o contrario! Quando estou entre eles, na sinagoga, numa sala cheia de livros ou na rua tranquila, silenciosa, os temas ligados ao judaismo nascem. Eh a oportunidade de tirar as duvidas que tenho. E as duvidas nao sao poucas...

Passei um fim de semana otimo. E amanha (daqui a pouco, porque estou insone das 5 e meia da manha...) a vida volta ao normal. Estah bem! Assim tem que ser. O Shabat e o descanso que ele representa e que pede sao profundamente necessarios. Mas tambem eh necessaria a volta ao ciclo...

Shavua Tov, boa semana.

Foto
Antes que eu me esqueca, tem uma foto nova no blog-flog , de quando fomos, argentinos e brasileiros, comer em uma pizzaria uruguaia. Em breve, mais fotos por la. Prometo, demora, mas acabo cumprindo!

5.8.04

Um alow pela internet
Quem tem ICQ pode me mandar mensagens pelo celular. Basta entrar, me adicionar (150058581) e ao enviar mensagem escolher a opcao SMS. Mesmo se eu estiver offline, recebo, na hora. Vou esperar mensagens!

4.8.04

De volta
Meu blog-flog estah reativado. Aos poucos vou colocar mais fotos la. Prometo, em breve, as do jogo!

2.8.04

Dia dos namorados
Apenas uma mensagem cheia de amor no dia dos namorados israelense, o Tu b'Av. Feliz dia dos namorados.

1.8.04

Um fim de semana e tanto
Passar o kabalat Shabat no Muro nao eh pra qualquer um. Nos dez meses que eu ja morei em Israel (vou completar esta semana) nao tinha passado por essa experiencia uma vez sequer. Na ultima sexta-feira me juntei a dois amigos do ulpan, o Dani e o Kadson, e fomos caminhando ate a Cidade Velha. Daqui de Baka, o bairro onde moramos, nao leva mais que 40 minutos.

O Kotel estava lotado quando chegamos. Fiquei meio embasbacado olhando aquela "galera" e me lembrando de quando estive aqui em 2002 e tudo que via era um grande vazio... Era o ano mais pesado da Intifada e por causa disso as pessoas tinham medo de sair de casa. Na sexta nao. Estava lotado!

De la, precisavamos de um lugar para jantar. Nao demorou muito e fomos parar na casa de um casal norte-americano que vem para Israel umas oito vezes por ano. A casa, de tres andares, fica a cinco minutos do Muro. Se tivesse acabado ai, ja teria sido suficientemente maravilhosa a experiencia.

Mas a noite foi cheia da melhor comida e de reflexoes profundas sobre felicidade, sonhos, judaismo. No fim da noite, para fechar com chave de ouro, fomos conferir a vista do terraco deles. Acreditem: da pra ver o Muro e o Domo da Rocha de la! Foi barbaro!

Tem coisas que so Israel faz por voce...!

30.7.04

Cidadao do mundo
Estou pela quarta vez em Israel. Passei seis meses aqui em 2002, em um kibutz, depois voltei outras duas vezes como turista/ jornalista incidental. Agora sou cidadao israelense. Eh engracado dizer isso. "Agora sou cidadao"!

E nada mais me faz sentir cidadao do que fazer compras, passear em um supermercado tentando entender o que os rotulos tentam me dizer, falar e discutir em hebraico, tomar onibus e pagar em shkalim, carregar minha teudat zeut e mostra-la com orgulho na rua, tomar um cafe no Aroma, comer um falafel ou um kbab num botecao...

Demorou, mas agora, finalmente, me sinto parte desse pais. E estou amando isso!

Shabat Shalom, so pra retomar o costume!

28.7.04

Teudat zeut!!!
Pois eh, chegou minha cedula de identidade, de cor azul, que carrego com orgulho. Espiem so a cara dela (e a minha!)...

26.7.04

O jogo
O ulpan, ou pelo menos o grupo de sul-americanos do ulpan, parou ontem. Afinal, um classico do futebol na TV, e conseguimos que ele passasse aqui! Argentina e Brasil se enfrentaram, argentinos (apoiados por uruguaios, chilenos e todos os latinos que nao sao do Brasil) e brasileiros daqui idem! Foi um sufoco, como todos sabem. Mas ganhamos, desfilamos camisas canarinho e hoje os argentinos sequer falaram conosco. Fiz muitas fotos e vou coloca-las na proxima vez que estiver conectado. Meu tempo estah acabando por hoje.

25.7.04

Rotina
Entao agora eu tenho uma rotina. Nao deveria dizer isso, porque eu sempre odiei rotinas, mas finalmente tenho uma! E eh simples: aulas todos os dias menos sexta e sabado (o que da na mesma, cinco dias de estudo por semana) entre 8h15 e 12h50. Antes da aula tem cafe-da-manha ou algo para o que dao esse nome. Depois, tem o almoco, se eh que podemos chama-lo assim. E as tardes sao tao livres que ja estou quase terminando meu terceiro livro (atencao, mandem mais!!).

Mas isso nao vai longe. A partir da semana que vem comecarei com outras pessoas a procurar trabalho por aqui. Moramos em um bairro muito agradavel e perto de nos tem uma rua, a Emek Rafaim, com dezenas de bares e cafes. Um deles certamente estarah precisando de alguem para lavar pratos, pelo menos. Ate que meu hebraico permita fazer outra coisa ficarei nos bastidores da operacao. Pagam NIS 18 (exatos US$ 4) por hora aqui. Eh o piso.

Minha papelada estah toda feita, o que significa que ja sou israelense. Tenho seguro saude, conta bancaria, cartao de credito, documento de identidade. Para tirar o passaporte devo esperar mais um ano. Nao tenho pressa, nao poderei ($)viajar antes, mesmo -se for o caso de sair, posso usar o passaporte brasileiro!

Tenho uma rotina e isso eh otimo. Nos proximos cinco meses eh isso que vai ser.

 
Quem le a Folha? Em alguns dias vai sair uma materia minha!! Quando souber a data exata, aviso voces.

Tem mais fotos no
album!

23.7.04

Fotos
Ainda nao consegui colocar fotos novas no meu blog-flog, mas vou comecar a colocar algumas no OPhoto. Em breve mando o endereco... Aguardem!

Update
Aqui estao!!!!

22.7.04

Muita coisa pra se viver, poucas palavras pra contar
Quero parar no titulo. Vou um pouco mais alem dizendo que as coisas estao otimas. Tudo conspira para que eu passe os cinco proximos meses muito bem: as pessoas, o clima, as aulas e a empolgacao com o hebraico (tenho falado mais na rua, mesmo que errando muito ainda!) e tudo mais. O futuro a D-s pertence, ja disseram. Entao eu vivo um dia de cada vez, muito bem. Estou com saudade das pessoas que ficaram no Brasil. Na minha parede e no meu coracao cada uma tem lugar especial. Fui muito alem do titulo. Meu tempo estah acabando.

19.7.04

Aulas, finalmente
Estamos em aulas... Fiz o teste na semana passada e hoje obtive o resultado. Estou na kita Beit, o que significa o quarto entre sete niveis. Tenho muito que melhorar para tentar subir algum nivel...!
 
Tudo vai muito bem e tenho muitas fotos. Mas ainda nao posso colocar aqui... O barato de morar no ulpan eh que tem gente de todo o mundo. Os brasileiros andam juntos, como era de se esperar, mas aos poucos estamos nos misturando com o resto da galera -coisa que para quem vem do Brasil nao representa nenhum sacrificio!
 
Amanha vou fazer minha teudat zeut, documento de identidade... Ja era hora. Quando puder, escaneio e mostro por aqui!!!



15.7.04

Global
Talvez a parte mais divertida do ulpan, um lugar onde se reune gente de todo o mundo, o que inclui Brasil, Argentina, Venezuela, Espanha, Cuba, Estados Unidos, Franca, Africa do Sul, Canada, Uruguai e outros tantos paises dos quais nao vou me lembrar agora, eh tentar desvendar sotaques, aprender palavras, costumes, descobrir que buseta em Caracas eh apenas onibus...

Isso no comeco do curso, eh claro. Porque ja vamos combinando, aos poucos, com a discordancia de uns e a sensacao de outros de que nunca poderah dar certo, que vamos trocar os nossos idiomas pelo hebraico nas conversas. A verdade eh que mal posso esperar para que isso aconteca!

Vai tudo muito bem por aqui. Mas o calor estah grande e os quartos, onde dormem tres pessoas, nao tem ventilador. Ar condicionado tampouco...

A proposito: as fotos quebradas aqui no blog voltam logo, e as do blog-flog idem. Isso depende apenas de uma "regularizacaozinha"...
Etzion!
Rapidamente so pra contar que ja estou em um lugar que posso chamar de casa! Estou feliz e realizado e ansioso pelo inicio das aulas, no domingo (que eh dia util aqui em Israel!). Em breve vou colocar fotos. Avisarei. Nao sumam!

11.7.04

Em Israel
Já estou em Israel. Bom, é claro que já estou em Israel, a viagem de Madrid para cá, embora tenha atrasado, não levou tantos dias...! O que tem levado tempo é eu poder entrar na internet para ver emails e escrever aqui no blog. Mas cá estou eu, na casa do personagem da minha monografia, Nahum Sirotsky, digitando minhas primeiras linhas como israelense.

Pois é, sou israelense... Dá um negócio estranho dizer isso! Um sonho realizado, enfim. Como escrevi na apresentação da minha monografia, tenho a sorte de possuir duas pátrias nacionais... E agora isso não é apenas retórica...

Como bom israelense já tenho teudat ole (documento de imigrante), sou chaver Macabi (membro do seguro saúde Macabi) e amanhã vou abrir conta bancária... Quinta-feira dia 15 começa o ulpan (curso de hebraico) e acabam minhas férias. Vai começar vida séria!

Pra falar a verdade, não vejo a hora...!

Chega de papo e vamos ao que interessa... O importante é vocês saberem que cheguei, estou bem, feliz, realizado e tocando a vida.

Cá entre nós, aba: você esqueceu de pagar a conta da Locaweb...?

6.7.04

Contagem progressiva
Onde eu possa plantar
Meus amigos,
Meus discos,
Meus livros
E nada mais...


Acabou a contagem regressiva. Agora conto os dias a partir do zero. Começa hoje, 6 de julho de 2004, vida nova.
La vou eu
Sao 7h57 na Espanha. Cafe da manha tomado, check-out feito, vamos pegar uma van para o aeroporto e, de la, voar para Israel.

Proxima atualizacao diretamente da Terrinha.

Fotos
Tem fotos do passeio de ontem por Madrid no meu blog-flog.

5.7.04

Aquele momento
Queria que em vez de ouvir os avisos em tom anasalado do aeroporto, estivesse tocando Only Time, da Enya, bem alto. E que as pessoas, que estão correndo para todos os lados em ritmo de chegada e despedida, andassem mais devagar.

Queria que a cena de Vanilla Sky na qual Tom Cruise sai de casa com seu carro último modelo e depara com uma estranha Nova York deserta, vazia, silenciosa, limpa, num típico cenário de domingo em uma cidadezinha de interior, se repetisse naquele momento.

Queria que o ritmo das coisas mudasse totalmente, para que aquele momento, que vai ser único e inesquecível na minha vida, fosse preservado em todos os seus detalhes. Não é uma viagem o que vou fazer. É uma mudança. Algo que exigiu decisão, idealismo, coragem, sonho.

Não queria que virasse um dos tantos acontecimentos da rotina diária maluca do aeroporto. E não vai virar. Na minha mente, na minha lembrança, cada detalhe daquele dia, daqueles momentos, o choro emocionado das pessoas que eu amo, o meu choro ao abraçá-las, a leitura com os olhos marejados de lágrimas do que me escreveram na festa de despedida, a emoção de ir atrás dos sonhos.

And I'd give up forever to touch you
Cause I know that you feel me somehow
You're the closest to heaven that I'll ever be
And I don't want to go home right now
And all I can taste is this moment
And all I can breathe is your life
'Cause sooner or later it's over
I just don't wanna miss you tonight

And I don't want the world to see me
'Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am

And you can't fight the tears that ain't coming
Or the moment of truth in your lies
When everything feels like the movies
Yeah you bleed just to know your alive

And I don't want the world to see me
'Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am

I don't want the world to see me
Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am


Aí vou eu, vida nova.
Em Madrid
Escrevo rapidamente da Espanha. Estou no hotel Auditorium, maravilhoso, e vou sair daqui a pouco para dar uma volta em Madrid. Está tudo bem, já chorei pacas com as coisas que todos me escreveram.

Saudade de todos.

Madrid me espera.

Amanha embarco para Israel.

4.7.04

É hoje

Coração na mão.

E algumas tristezas.

Ansiedade...

Expectativas.

Chegou o 4 de julho.

2.7.04

Dois dias
Se você continuar fazendo o que sempre fez,
continuará obtendo o que sempre obteve


E o tempo voou e daqui a dois dias quem vai voar sou eu... Parece brincadeira, é surreal. Mas é verdade. Em dois dias, no próximo domigo, às 19h50, partirei em direção ao Rio de Janeiro, de lá a Madrid, de lá a Tel Aviv...

"Frio na barriga" não descreve o que estou sentindo.

30.6.04

Defesa
Hoje é o dia da defesa da minha monografia... Daqui a algumas horas serei oficialmente jornalista (assim espero)!!! Já estou na faculdade com tudo organizado.

Quem quiser aparecer ainda dá tempo! Metodista, edifício Delta, sala 271, às 11h.

Israel: - 4 dias.

28.6.04

Vivo
Estou vivo, sim, faltando menos de uma semana. Viajo no próximo domingo, o que faz de hoje minha última segunda-feira no Brasil. E de amanhã, a última terça... E o tempo está voando, e as malas não estão nem começadas!

Enfim... Estou vivo, sim. E não vou abandonar o blog, não! É que já desliguei o micro em casa, então entro muito mais raramente na net. Lá vai ser diferente. Espero.

23.6.04

Silêncio
Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém.
Provavelmente a minha própria vida
(Clarice Lispector)

Tenho um montão a dizer. É a reta final... Mas vou deixar para dizer daqui a uns dias mais. Estou cansado com todos os últimos preparativos. Mas feliz e quase realizado.

Israel: - 11 dias.

21.6.04

Tum-tum-tum
No tempo que eu era só
E não tinha amor nenhum
Meu coração batia mansinho
Tum, tum, tum

Depois veio você
O meu amor número 1
E o meu coração
Pôs-se a bater
Tum, tum, tum, tum...

20.6.04

Caixas
Preciso com alguma urgência de caixas -não muito pequenas, não muito grandes- para guardar os meus livros (que serão enviados depois da minha ida a Israel gradativamente, por navio). Alguém tem idéia de como posso conseguir isso?
Um "obrigado"
Foi maravilhosa a festa de despedida, ontem. Valeu a todos que foram, de coração. Quando revelar as fotos vou colocá-las aqui!

IMPORTANTE: a defesa da minha monografia não vai mais ser dia 22, terça. Mudou para 30 de junho, quarta-feira. Ainda não sei o horário, mas quando souber aviso aqui pelo blog...

17.6.04

Eloqüente
Trecho de uma entrevista com o Maluf ontem na CBN, em que negou veementemente que a assinatura dele no tal documento que solicita a transferência de módicos 100 milhões de reais para um banco em Londres não é, na verdade, dele:
Heródoto Barbeiro: E como é que a carta veio da Suíça para a Justiça brasileira?
Paulo Salim Maluf: Não sei, não sou carteiro.

Só no Brasil, mesmo...

E eu me alegro de voltar a escrever alguma coisa que não tenha a ver com a minha monografia. Hoje, depois de indas e vindas de revisão, orientadora (Marli, você é um anjo, um poço de paciência!), finalmente fechei o meu Trabalho de Conclusão de Curso. Terça-feira, dia 22, é a defesa. O horário foi mudado para 18h30. No prédio da Pós. Venham!

15.6.04

O Rio de Janeiro continua lindo
E continua mesmo. Passei o melhor dos meus feriados na cidade maravilhosa, com a companhia mais maravilhosa do mundo e uma programação perfeita: cinema brasileiro no Odeon, concerto no Municipal, praia em Copacabana, balada na Bukowsky, sanduíches no Bob's original, papo descontraído na Letras & Expressões...

Estava precisando, depois de tanto suor com TCC, frilas, faculdade e afins, descansar. Foi realmente muito bom. Mas a faculdade ainda não acabou e estou de volta à vida real!

De toda forma, falta pouco. Já faltam menos dias do que coisas para fazer...

Parto em três semanas. A lista de afazeres é imensa: comprar e arrumar as malas, empacotar os livros, desocupar o apartamento, jogar a papelada inútil no lixo, defender a monografia, escrever uns 15 textos, me formar...!

It's the end of the world
As we know it...
And I feel fine!