30.9.03

Aleinu, a revista mais jovem da comunidade judaica
Ou: "propaganda é a alma do negócio"

Projeto "Hands" é lançado em São Paulo
O projeto "Hands", com a participação
de dezenas de personalidades, foi lançado
em São Paulo, para ajudar o Ten Yad. A
entidade, ganhadora de dois prêmios
"Bem Eficiente" e detentora do ISO 9000,
serve refeições a pessoas que não têm
comida.
(do Michel, aqui)

"Sofri na pele o anti-semitismo"
Ao ir numa festa com uma amiga,
a jovem Karen, de 19 anos, sofreu
na pele o anti-semitismo ao se
declarar judia. Ela enfrentou algo
que está presente no dia-a-dia:
o preconceito.
(da Clarissa, aqui)

Boa leitura!
Virgindade
(Da série "ninguém perguntou")
Hoje, 30 de setembro, faz oito anos desde que eu... hmmm... errr... ããã... que eu transei pela primeira vez. Oito anos, caramba! Depois de tanto tempo eu posso contar, né? Minha primeira vez, com a garota que eu namorava na época (não vou contar quem, embora quase todo mundo saiba...!) foi numa danceteria! Os hormônios, ah!, os hormônios...!

Desculpem, senhores e senhoras caretas...!
"Otimista e idealista"
Encontrei dia desses, na poeira de uma estante, o livro do Mino Carta, O castelo de âmbar, sobre o qual eu assisti na semana passada um Roda Viva com o autor. Lembro que quando eu ganhei o livro -autografado- comecei a ler mas não consegui avançar muito. Agora estou encarando com outros olhos essas páginas e essa história, e me pus a ler de novo. É que soube de algo que não sabia antes...

Fato é que fui à dedicatória, escrita pelo Mino Carta, o Mino Carta. Li, nos garranchos: Para o Gabriel, otimista e idealista, com a esperança de que continue assim, mesmo depois de visitar O castelo de âmbar, com o abraço do Mino Carta. Puxa! "Otimista e idealista"...! E nem faz tanto tempo assim... A dedicatória tem data: 13 de dezembro, 2001. Será que eu mudei tanto, depois de tão pouco tempo?

"Otimista e idealista"...! E nas palavras do Mino Carta...! Ótimo... Ele volta pra minha cabeceira...!

28.9.03

De passagem
Eu fui lá na escola onde estudamos, mas não era mais a mesma coisa: os alunos, as professoras não eram os mesmos. Eu estive no quarto onde pela primeira vez nos entregamos um ao outro, mas já não era mais a mesma coisa: você não estava lá, nem seu cheiro, nem nada... Eu visitei os lugares que visitamos juntos, mas sem você nada mais era igual...

A vida está passando diante de mim e a sensação que eu tenho é que eu estou apenas observando, como se estivesse diante de uns trilhos mas nunca tomasse o trem... Sinto falta das pessoas que passaram pela minha vida. E não é saudade. É uma sensação estranha de que eu as afastei de mim...

Eu sei que sou nostálgico. Não queria que fosse assim. Me faz mal ir à casa da minha mãe. Menos mal que ela foi vendida, enfim...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma...
A vida não pára.

(Paciência, Lenine)

24.9.03

O ministério da saúde adverte...
Podia ser uma campanha, mesmo!!! Espia só!
Não é fácil...
Se você quisesse ia ser tão legal...
Acho que eu seria mais feliz do que qualquer mortal

(Marisa Monte)

23.9.03

O valor da vida
Um dos princípios do judaísmo é a valorização da vida. A coisa é tão séria que é permitido até mesmo aos ortodoxos passar por cima de outras leis tidas como muito importantes, como o respeito ao Shabat ou o jejum em Yom Kipur, para salvar uma vida. É por isso, por exemplo, que em 1973, na guerra de Yom Kipur, os soldados israelenses deixaram as sinagogas para combater pelo país.

Bom, tudo isso pra contar uma notícia que está no Estadão de hoje: Israel e Hezbollah negociam troca de presos. Pode parecer apenas mais uma negociação diplomática, mas quem ler a notícia vai entender do que eu falo...

Israel está considerando libertar 400 presos árabes, entre eles 200 palestinos, em troca de: 1) libertação pelo Hezbollah do empresário israelense Elhanan Tannenbaum; 2) entrega dos corpos de três soldados desaparecidos depois de seqüestrados pelo mesmo Hezbollah; e 3) informações sobre o paradeiro do piloto Ron Arad, desaparecido no Líbano em 1986.

Para quem não pegou a mensagem: Israel vai colocar nas ruas 400 potenciais terroristas (se não fossem, não estariam na cadeia) apenas para ter a tranqüilidade de salvar uma vida e obter a informação sobre o paradeiro de outras quatro.

E depois dizem que Israel é opressora e tudo mais. Não é Israel que ata explosivos ao corpo de seus cidadãos e os mandam para se explodir matando o maior número possível de inocentes. Não é Israel que dá cheques de US$ 25 mil para as famílias dos suicidas terroristas, como recompensa e prêmio... Tem coisas que eu não entendo, mesmo.
Para onde caminha o nosso telejornalismo?
A crise no telejornalismo brasileiro é uma velha senhora que nasceu com a TV, cresceu durante o período da ditadura militar no país e está na sua melhor idade nos dias de hoje.

Quando o cineasta Jorge Furtado filmou O homem que copiava, ou quando fez o curta Ilha das Flores, sua crítica ia direto a essa velha senhora.

Colocar uma galinha no final do filme, fora de contexto, como se fosse o personagem principal da trama pareceu estranho para quem viu O homem... Mas Furtado explica bem a razão do que fez: "A inclusão da galinha é também uma crítica à mania que a imprensa tem de supervalorizar matérias com bicho (nos anos oitenta, era quase uma regra do Jornal Nacional terminar com matérias sobre bichos)."

No livro O povo fala, um cineasta na área de jornalismo da TV brasileira, João Batista de Andrade faz a mesma crítica. Ele menciona, a exemplo de Furtado, os editoriais do Jornal Nacional que "festejavam o dia em que nascia algum animal exótico no zoológico"...

Muito se fala com relação à inclusão digital. Pouco se diz, contudo, do perigo que está por trás de deixar o cidadão sem acesso livre à boa informação, da falta de democratização da informação, mesmo nos dias de hoje, melhor idade da velha senhora.

E é disso que se tratam as críticas dirigidas por exemplo ao apreentador Gugu Liberato, do SBT, que maquiou ou permitiu que maquiassem personagens para caber em entrevistas bombásticas...

--------------------------
Esse é o início de um artigo que estou
escrevendo sobre o assunto. Aceito sugestões!
Fotos!
Tem fotos novas, da balada de sábado na Klass (oferecimento BaladasSP!) e do churrasco no domingo, no meu álbum!

Sobre a balada, como eu já disse um dia, é foda se sentir o mais velho do local...

E tem uma foto inédita, de Israel, no meu Flog...

Update, 10h: coloquei mais fotos, tiradas hoje (terça) na Metô! No álbum.

22.9.03

O papel do jornalista, afinal...
Hoje estive em uma externa (jargão jornalístico para uma saída para gravação de reportagem). A pauta era a alfabetização de idosos. Fomos, então, a um centro em São Bernardo que oferece aulas gratuitas a pessoas simples, "de idade". Eu fui como aspone, não fiz muita coisa além de dirigir o carro que levou a equipe e de tirar algumas fotos durante as gravações.

Mas algo ali me incomodou bastante: uma das entrevistadas, claramente emocionada, deu seu depoimento sobre as razões de só estar estudando depois de tantos anos e explicou à repórter, postada com o microfone diante dela, como a vida dela está mudando agora que sabe ler e escrever. Vi uma lágrima correr dos olhos dela.

A repórter, contudo, passiva, terminou seu trabalho e deixou a senhora ali, emocionada, secando o rosto de choro, com as lembranças daquilo que fez a lágrima brotar. Eu fiquei pensando, então, que papel é o nosso, afinal! Despertamos emoções mas não podemos ajudar as pessoas a lidar com elas. Ficamos passivos diante da lágrima dos outros.

Não sei me expressar bem. Mas aquela cena me incomodou. Queria ter podido ajudar a velha senhora, mas sei que não poderia fazer muito, mesmo. E sei que a repórter ali também não poderia fazer muito. Então, qual é o nosso papel, afinal?!

Em tempo: escrevi hoje, antes mesmo de começar a elaborar uma linha de pesquisa para o meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), a dedicatória que vai abrir o livro. Morram de curiosidade! Só depois de publicadas essas linhas serão conhecidas!
Parabéns, viu?!
Hoje é dia do amante...

E eu vou pra aula!

20.9.03

Wake me up inside
Bring Me To Life
(Evanescence)

How can you see into my eyes like open doors
Leading you down into my core
Where I've become so numb
Without a soul
My spirit sleeping somewhere cold
Until you find it there and lead it back home

Wake me up inside
Wake me up inside
Call my name and save me from the dark
Bid my blood to run
Before I come undone
Save me from the nothing I've become

Now that I know what I'm without
You can't just leave me
Breathe into me and make me real
Bring me to life

Wake me up inside
Wake me up inside
Call my name and save me from the dark
Bid my blood to run
Before I come undone
Save me from the nothing I've become
Bring me to life

Frozen inside without your touch without your love
Darling only you are the life among the dead

All this time I can't believe I couldn't see
Kept in the dark but you were there in front of me
I've been sleeping a thousand years it seems
Got to open my eyes to everything
Without a thought without a voice without a soul
(Don't let me die here)
There must be something more
Bring me to life
Kipur
Reza em Yom Kipur, do site www.tora.org.arUm ano atrás, mais ou menos, era Yom Kipur, dia do perdão, a data mais importante do calendário judaico. Eu estava em Jerusalém, sozinho. Tinha viajado pra capital de Israel para poder passar esse dia de reflexão e auto-avaliação no lugar que, para mim, é o mais sagrado do mundo. Foi uma experiência incrível ouvir o shofar anunciando a entrada do novo ano -o que estamos- diante do Kotel (muro das lamentações)...

Mas, como eu estava lendo ontem no meu diário, foi também uma experiência triste. É que tradicionalmente, Yom Kipur é um dia para passar em família, em comunidade. E eu fiquei meio deslocado, ainda que estivesse em Israel, ainda que estivesse em Jerusalém, ainda que estivesse diante do Kotel...

Daqui a poucos dias será Yom Kipur, de novo. E eu não posso deixar de pensar que, por um lado, estarei de novo em família e em comunidade, mas, por outro, será provavelmente meu último dia do perdão no Brasil. Claro que não vou desistir dos meus planos de fazer aliah, de ir pra Israel, mas confesso que isso incomoda.

Shanah Tovah Umetukah, desde já!
Um ano bom e doce.
É...
So now we have our independence...
What shall we do with it?
Homenagem
O ministro da Cultura, Gilberto Gil, toca e canta, ao lado do secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, na homenagem às vítimas do atentado de 19 de agosto contra o prédio da organização em Bagdá, entre elas o administrador da ONU para o Iraque, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello. Gil se apresentou na sede da ONU em Nova York durante um cerimonial para famílias e parentes dos membros da entidade que morreram no ataque. O evento também fez parte das comemorações do Dia Internacional da Paz. [19/09/2003 - 23h51] (Estadão)

A cena não deixa de ser engraçada... Um ministro com jeitão de roqueiro e um secretário da ONU no batuque...
Swing?!
suingue (u-í). [Do ingl. swing.] S. m. 1. Elemento rítmico do jazz, de pulsação sincopada, e que caracteriza esse tipo de música. 2. Estilo de jazz surgido na década de 1930, de andamento moderado, ritmo insistente e vivaz, e que era geralmente apresentado por grandes conjuntos instrumentais. 3. Dança ao som de suingue (2). 4. Bras. Chulo Orgia sexual em que participam dois ou mais casais. [Sin., nas acepçs. 1 a 3: swing.]

Mas não foi bem isso...!

19.9.03

Promoção!
Este blog também é cultura! E também é útil pra gente dura como eu!

Quase...!
Falta pouco do que eu ainda preciso fazer... Mas vou contar: viver sozinho não é moleza. Compensa, mas não é moleza! Ainda preciso:

- arrumar a casa
- lavar a louça
- arrumar a cama
- guardar as roupas
- organizar a papelada

Vou levar a tarde toda nisso...

18.9.03

Laila tov(*)
Acredite se quiser: são cinco pras nove e eu estou indo dormir.

Estou acabado.

(*) boa noite, em hebraico
Por pouco
Estava saindo do banco (fui pagar dívidas, claro) com o carro. Em uma fração de segundo, recebi uma fechada, o motorista do outro carro ficou olhando pra trás e... BUMMM! Bateu em um táxi que estava mais a frente. Eu não quis rir, mas foi inevitável! O imbecil me fechou, ficou me xingando e esqueceu que estava dirigindo e que o carro dele continuava em marcha. Deu no que deu...

Cada um...
Sono
Eu sou assim mesmo... São 5 e meia da madrugada, estou ainda acordado. É que se eu resolvesse dormir, não acordaria pra ir pra aula... Então preferi virar. Depois, à tarde, à noite, eu durmo. O importante é não perder aula, afinal...!
Afazeres
Então tá. Eu resolvi tirar a quarta-feira para dar uma ordem na minha vida: arrumar a casa, lavar a louça, guardar as roupas, organizar a papelada, lavar o carro... Fui cedo pra faculdade, mas acabei não conseguindo fazer quase nada disso, porque tive mil reuniões depois. Normal...

Então que quando eu estava voltando da aula passei por um posto com uma bandeira ultra-desconhecida: "Meio-a-meio"! Deve ser metade água, metade combustível!!! Mas o fato é que a gasolina estava a R$ 1,79, valor recorde! E ainda ganhei uma ducha, o que me permitiu riscar um dos itens da minha lista de coisas para fazer hoje, um só:

Lavar o carro.

Então tá! Menos mal...

*Garoto-enxaqueca, vai bater punheta, sério! Pode ser que seu humor melhore! E você ainda diminui as chances de ter câncer, sabia?! Aceita meu conselho... Do jeito que você é, vai precisar disso logo, logo...!

17.9.03

Stress crônico
Acho que tenho stress crônico! Pelo que acabei de ouvir na Eldorado, em um informe publicitário da Golden Cross na voz do dr. Artur Zular, tenho todos os sintomas de stress crônico: falta de ânimo, baixao rendimento nos estudos e no trabalho etc etc etc...

Deve ser por isso que o meu blog é tão chato...
Pode?!
Pus essa imagem aqui quando o sistema de comentários estava pifado... Então nem fiquei sabendo o que os meus caros leitores acham a respeito... Então, mais uma chance...



Eu acho que não temos nada a ver um com o outro! Alguém?!
Cerca
(Da série "Vê se entende, agora!")
Tem uma razão para a cerca que Israel está construindo ao redor de si mesma: defesa! Se as pessoas entenderem isso, e entenderem o que é ter um terrorista em potencial a menos de uma hora a pé da sua própria casa, talvez entendam melhor porque essa cerca é necessária. É como diz o embaixador de Israel em Washington, Daniel Ayalon...

16.9.03

Deprimido
Minha vida vai que é um marasmo só... Estou entre a ansiedade para descobrir se os meus estudos vão servir pra algo além de atrasarem meus projetos de vida, e a falta de saco de fazer qualquer coisa.

A minha casa está uma zona. Tenho que andar na ponta dos pés pra não pisar em nada por aqui! A pilha de louça para lavar está imensa. Há papéis espalhados na sala, no quarto... As roupas estão por toda parte... Enfim, é um verdadeiro caos residencial!

Pra ajudar tem um merda que diz um monte de bosta do meu blog. Diz pra mim: por que um sujeito se dá ao trabalho de abrir um blog e escrever tanta merda assim? Pô, vai bater punheta, meu caro!

Ai, ai...

15.9.03

Hien?
De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol bçguana que vcoê pdoe anida ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.

Entendeu!?!
De volta
Estou na faculdade, de volta à rotina... E hoje descobri que terei que cursar "várias matérias complementares" para poder entrar na minha pós em História na Universidade de Tel Aviv. Ou seja: talvez nem seja interessante eu continuar estudando aqui no Brasil e possa já ir direto pra lá... Até o final da semana saberei disso tudo com certeza...

13.9.03

Dia maravilhoso
Estar com os amigos, passear pela praia, ver o mar, deixar o tempo passar... Estava precisando disso. Tem fotos novas, de hoje e de ontem, no álbum. Daqui a pouco tem festa do Hillel Rio...

Chego em Sampa segunda de manhã...

12.9.03

Away
Vou viajar hoje, daqui a pouco, depois de conseguir arrumar (uma) mala! Alguém quer tentar adivinhar pra onde? Tá fácil...!! Cariocas, vejo vocês dentro de algumas horinhas mais!!!

Shabat Shalom LeCulam!
Tragicômico
Em plena Faria Lima, trânsito típico de começo de tarde de sexta-feira, meu carro parou.

O ponteiro da gasolina já estava pra lá da reserva... Mesmo assim, eu, teimoso, achava que com o cheiro da gasolina que tinha ficado no tanque daria pra contornar até chegar no posto que estava a 20 metros de mim, do outro lado da rua... Não deu...!

Então lá fui eu, com o carro pulando engasgado, tentar cruzar a Faria Lima, trânsito típico de começo de tarde de sexta-feira, para poder deixar a "máquina" em um lugar seguro...

Depois, atravessei a pé as oito pistas, em meio ao trânsito típico de começo de tarde de sexta-feira. Comprei a gasolina no saquinho de emergência (alguém sabe se isso pode ser guardado e reutilizado?!). Dois reais de saquinho, seis de combustível...

Como se não bastasse, quando estou voltando pra colocar o combustível no carro, quem aparece no meio do trânsito típico de começo de tarde de sexta-feira? O Leo, um amigo meu, tirando o maior sarro!

Ninguém merece!

"A gente se fode mas se diverte", diria um ex-chefe meu!
Mascarafat
(Da série "uma imagem fala mais que mil palavras")
Babei
As mulheres vão me odiar por este post, eu sei, mas eu estou babando com as fotos da Babi na Playboy, essas! Essa merece...!

10.9.03

Pode mentir! De repente você fica rico...
Do Blue Bus:

Reporter mentiroso do NYT vai lançar livro 12:28 O
ex reporter do The New York Times, Jayson Blair, está
perto de fechar acordo para publicar um livro sobre o
escandalo que resultou na sua demissao, na saida de dois
editores e em mudanças internas no jornal. O contrato
com a New Millennium Press, de Los Angeles, ficará na
casa das centenas de milhares de dolares. Segundo
noticia do New York Post, editoras de NY demonstraram
pouco interesse. Blair fabricou e plagiou dezenas de
materias, o que levou o jornal a publicar, em maio, 4
paginas de texto sobre o caso, leia aqui. Leia anterior
'Enganei pessoas brilhantes do jornalismo' aqui. 10/09 Ana
Kelner


Não é um absurdo? Ontem, em vídeo que assisti na aula de Crítica da Mídia, discutiu-se como nos EUA a relação entre imprensa e poder é diferente do que acontece no Brasil. Aqui, depois que os jornalistas derrubaram o Collor e acabaram com a vida do PC Farias, ainda existia uma boa relação entre a imprensa e os dois, como contou o Mario Sergio Conti, autor de Notícias do planalto. Nos EUA, ao contrário, Nixon nunca mais falou com os jornalistas do caso Watergate...

Mas, por outro lado, essa notícia do Blue Bus revela como mesmo as mentiras rendem e vendem -e, nesse caso, mentiras que prejudicaram o jornal de maior credibilidade dos EUA, o NYT.
Jingle israelense
New places, new times, new beginnings, new friends...
[toca toda hora aqui]

Aliah?!
Desesperança
Pesquisa de um jornal israelense em língua espanhola sobre o que os leitores (a maioria israelense) pensam sobre os últimos acontecimentos. Os resultados são de hoje, dia seguinte a dois terríveis atentados terroristas...

Todo es muy complejo - 19,44%
No se llegará a vivir en paz - 11,11%
Todo se resolverá - 0,00%
Esto traerá mas violencia - 8,33%
Israel actúa muy bien - 52,78%
Israel actúa mal - 8,33%
O amor, ah, o amor!
"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo. Perdeste o senso!"
E eu vos direi: "Amai para entendê-las, pois só quem ama pode ter ouvido capaz de ouvir e entender estrelas."

(Olavo Bilac)

Essa frase eu roubei da garota mais apaixonada que eu tive notícia na Internet, ela. E ele é o sortudo por quem ela é apaixonada.

Preciso de algo assim, mais ou menos...! É pedir demais?
Compras
Fui ao supermercado hoje e comprei colheres. Não é coisa de mãe comprar colheres?! Morar sozinho tem dessas coisas!

9.9.03

Mais um
E aconteceu em Jerusalém também. Triste.
Yes, nós temos comentários!
Depois de tantos dias no silêncio, finalmente temos de novo comentários! Então, sem hesitar, clica aí embaixo e DIGA ALGO! E comentem nos posts lá pra baixo! Tem um monte de coisa que simplesmente não pode ficar sem comentário!!! Menos daquele imbecil e covarde do "AH", claro...!
Luto
Ouvir rádio israelense, como a Galei Tzahal, significa às vezes saber em primeira mão do acontecimento de um pigua (atentado) em Israel. É o que aconteceu agora há pouco, em Tel Aviv. Não há mortos. Há dois mortos e pelo menos 30 feridos, 15 deles em estado grave, o que eu chamo de semi-mortos... Por isso estou de luto. Isso não vai ter fim nunca mais?
Procura-se!
Procura-se uma namorada.


Ela pode ser gorda ou pode
ser magra, mas se dará
preferência para as que se
cuidam!



Procura-se uma
namorada que seja ao
mesmo tempo carinhosa
e compreensiva,
companheira e crítica.



Ela tem que ser alegre e
deve ter um olhar que derruba.
Tem que morar em São Paulo
porque não posso com distâncias.



Procura-se uma
namorada para dividir
um coração em fatias
de amor e emoção.



Precisa-se de uma garota de
comprovada sabedoria, uma
mulher charmosa e sensual, que
possua no coração um ideal.



Procura-se alguém que queira
dividir, somar... Que queira alegrar
e ficar alegre. Que não tenha frescuras
e seja ela mesma.



Onde estará o meu amor?
Recompensa-se bem.
Muito bem!


8.9.03

Jaime do Jardim Bonfiglioli
Eu ouço a Eldorado AM todo dia. Melhor: o dia todo! Se estou no carro, geralmente estou sintonizado nos 700 quilohertz... Se estou em casa, o rádio do meu quarto fica ligado na AM, e eu fico ouvindo as notícias.

Quem escuta tanto uma rádio nota coisas que o ouvinte normal não percebe. Uma delas é que a Eldorado AM usa sempre um nome-fantasma, o do Jaime, do Jardim Bonfiglioli, para as perguntas que fazem aos entrevistados...! Pode reparar! Sintonize em AM 700 e fiquem ouvindo. No primeiro programa de entrevistas, você vai ouvir o locutor anunciar:

Eu tenho aqui uma pergunta do ouvinte Jaime, do Jardim Bonfiglioli...

Poxa, poderiam pelo menos mudar o nome do sujeito...!

7.9.03

De repente, um dia de verão!
E eis que no meio do inverno frio e cinza, surge um dia de domingo quente e ensolarado. Coisas de São Paulo. Ideal para curtir uma peça de teatro de rua ou para namorar tomando sorvetes exóticos, ou para acompanhar a vitória do Brasil sobre a Colômbia no futebol...

Shavua tov, boa semana.

6.9.03

Foto
Tem foto nova no meu fotolog... Bom, nova ela não é, tem mais ou menos um ano, mas é uma das que eu curto... É de quando eu estava em Israel, com outra cara. Preciso mesmo voltar pra lá. Não sei se agüento mais nove meses...
Shabat Shalom, né...?

5.9.03

Travalenguas, tongue twisters...
Muito engraçado! Frases em mais de cem idiomas (passando pelo russo, hebraico, chinês, espanhol, inglês, português, esperanto, guarani...) para enrolar a língua (sabem que eu não sei -ou não me lembro- como se diz tongue twisters em português?!).
Leis? Que leis?
Do br101.org
Repórteres sem Fronteiras protesta
contra prisão de jornalista brasileiro

A ONG Repórteres sem Fronteiras publicou nota de protesto contra a prisão do jornalista Alvanir Ferreira Avelino do diário Dois Estados deMiracema (RJ). Avelino foi condenado por acusar o juiz da cidade, Alexandre Mesquita, de abuso de poder. A base da sentença foi uma lei de 1967, instituída pelo regime militar, que limita o direito de expressão.

Ferreira Avelino was arrested on 29 August at his home in Campos (Rio de Janeiro state) and taken to Carlos Tinoco da Fonseca prison. He had been sentenced in 2001 to 10 months and 15 days in jail for "expressing an opinion" under the military regime's 1967 press law. His lawyer, Paulo Rangel de Carvalho, said he was the only journalist convicted under the law.

Alguém precisa dar uma limpada nas leis brasileiras. Se coisas desse tipo ainda não foram revogadas, ficamos dependendo do bom senso dos juízes e promotores...



É... Eu também acho.
História, passado, tradição
Hoje, acho que pela primeira vez em 24 anos, sentei com o meu pai para falarmos sobre a vinda dele ao Brasil. Meu pai nasceu no Egito, e deixou o país aos oito anos, quando Nasser tornou a vida dos judeus egípcios insuportável. Não vou contar toda a história aqui. Quero apenas dizer que fiquei muito emocionado ao ouvir os relatos dele.

Naquela época, ainda tinha-se que vir de navio e isso poderia demorar semanas, meses; não existia Internet para poder manter contato com o país de origem; a viagem era uma verdadeira aventura: para um local desconhecido, com um idioma novo... Bom, no site da Sociedade Histórica dos Judeus do Egito dá pra ter uma boa noção disso...!

Há coisas na vida que não se esquece. Essa é uma coisa que eu não vou esquecer: meu pai e eu numa cantina em São Paulo conversando sobre a imigração dele para o Brasil. Tomara eu possa, dentro de trinta e poucos anos, sentar com o meu filho em uma cantina em Tel Aviv e contar pra ele sobre a minha imigração pra Israel!

4.9.03

Próximo, de longe
Tenho ouvido, sempre que posso, sempre que estou em casa, pelo menos, a Radio Tel Aviv, graças à Internet! Adoro ouvir hebraico, pra começo de conversa. Além de ajudar meus ouvidos a se acostumarem com o meu novo idioma (faltam 9 meses pra minha aliah!), me divirto com o jeito israelense... Depois, a rádio é ótima, toca umas músicas muito boas, incluindo algumas da "MPI", música popular israelense... Além disso, tem as chadashot, as últimas notícias, de hora em hora, como em qualquer rádio israelense! Recomendo!

É, enfim, uma maneira de ficar pertinho, mesmo estando tão longe.
Comentar
Mandei um email para o cara do YACCS, que provê o sisteminha de comentários deste blog que tem a honra de ter a sua leitura agora! Resposta dele: apenas segunda-feira, possivelmente, os comentários voltarão ao normal. Até lá, por favor, não me deixe no silêncio! Mande um email pra mim, entre no ICQ ou no MSN e me deixe umas palavras ou então me passe uma mensagem de texto para o meu celular!

Blog sem comentário não tem graça!

2.9.03

Na rota da extinção?
(Da série "ser alarmista de vez em quando não faz mal a ninguém"!)
Tá... As chances são de uma em 909 mil... Significa que é quase certo que não ocorra. Mas "quase certo" não é certo! Tem um asteróide, o 2003 QQ 47 -que mede 1 quilômetro de comprimento e poderia devastar um continente inteiro- vindo colidir com a Terra. Pior: com data marcada, 21 de março de 2014...

Qual será o continente escolhido pelo asteróide?! Teremos só onze anos de vida, e nada mais?! Façam seus planos...!
Falando no tema...
Foi só eu falar! Estou na net, escrevendo um texto sobre exclusão digital para a disciplina de Jornalismo Digital quando chega um email da Lyudmila, lá de Nova York (ela vai embora amanhã, para Yekaterinburg, 2 mil quilômetros de Moscou para o lado da Ásia...!). Falamos um pouco, por email (não posso usar ICQ aqui) e estávamos nos despedindo quando o Claudio, de Israel, entrou no Messenger... Fazia muito tempo que não nos falávamos! Che, be emet, manda un beso a todos!!! Yo extraño muchísimo a todos!

É a rede e seu poder de integrar as pessoas.

QUE PUTA SAUDADE!!!!!!
World Wide Web
A Internet é uma coisa magnífica... Há dois meses, mais ou menos, eu passeava pela net e caí em um site no qual as pessoas criavam em inglês frases a partir da última palavra da frase anterior, acrônimos. Então, tive a idéia de criar o Acrônimo, em português. Hoje, voltando ao Blogstop, o site original, descobri que alguém criou uma versão em espanhol, e deu o mesmo nome que a tupiniquim, Acronimos. Muito legal!

Somos uma grande rede, afinal...!