30.10.05

Desarmamento ou educacao?
Rabisquei um outro texto no Mondo, de ultima hora, sobre assunto do dia a dia no Brasil, com um olhar israelense. Espero que gostem. Ou que odeiem! Mas que comentem!

27.10.05

26.10.05

Os calos de cada um
Veja voce que coisa... Sai atrasado pro trabalho e tive que tomar um taxi. Vim calado. Comentei com o motorista do atentado, ele disse que nem sabia. Entao me calei. E ai, no caminho, um outro taxista fechou o carro onde eu estava, o cara brigou, deu farol alto e tal. Quis dizer, mas fiquei so pensando que se fosse la no meu pais, ele poderia ter tomado um tiro na cara, por uma razao besta como essa.

E ai fiquei pensando que cada um tem seus calos. Confesso que pensei em sair daqui por um tempo. Pra espairecer ou pra fazer algo que marque, ser volunatrio na Africa ou estudar na Europa, sei la. E ai comecei a elencar os possiveis destinos. Pensa comigo: EUA? Nao, terrorismo, furacao. Espanha? Nao, terrorismo, Al Qaeda, ETA. Inglaterra? Nao, terrorismo, Al Qaeda, IRA. Sudeste asiatico? Nao, tsunami. Brasil, America do Sul? Nao, violencia. Mexico? Nao, furacao. Africa? Nao, aids. China? Nao, bird flu.

Acho que vou ficar com os calos daqui, mesmo. Pelo menos cheguei no trabalho, e o motorista do taxi continua vivo...
De novo
Desculpe. Fico semanas sem dar noticias, e quando venho, trago mas noticias. Tenho das boas, tambem, mas cansei de ser controlado pelo blog. Mesmo. E isso nao eh pra voce, nao, ta? Eh... clali, geral. Estou meio de saco cheio, acho que precisando de um daqueles negocios que os boxeadores usam pra treinar. Preciso descarregar tensoes.

Tensao porque passei tres horas, hoje, entre a noticia da explosao e ate conseguir falar com o meu pai, sem saber se - chas ve shalom - ele era um dos quatro mortos ou um dos 16 feridos em Hedera. Porque ele mora bem perto. E porque o telefone dele nao funcionou, durante essas tres horas. Tensao mesmo. Alivio quando falei com ele, ouvi a voz do meu irmao felizmente ignorante da situacao. Todos bem.

Mas o terrorismo voltou. De novo, aquela sensacao de merda. Vai passar...

PS.: sei que estou devendo noticias. Estou pensando muito no que escrever (talvez devesse pensar menos e escrever mais, ne?). Muita coisa na cabeca, muitas indefinicoes. Saudade da epoca em que eu tinha saco pra atualizar o blog todo dia. Nao lembra? Consulta o arquivo. Eu prefiro nao fazer isso, vou desabar a chorar do jeito que estou hoje. Que merda.

9.10.05

Mundo louco de gente insana
A noticia veio pela minha amiga libanesa, orgulho que tenho (por ser amigo de alguem que sabe, como eu, que politica e dia a dia nao precisam necessariamente se misturar sempre). Ela me contou dos 18 mil mortos (o numero era de 18 mil, ja saltou pra 25 mil ou 30 mil, de acordo com a fonte) no terremoto no Paquistao. Terrivel. Nao consigo imaginar 18 mil pessoas, 30 mil pessoas, nao sei que multidao eh essa. Muita gente. Todos mortos.

E, quando eu recuperei a internet, so aqui no trabalho - porque meu computador resolveu sair de ferias sem aviso previo - fui ler ca e la coisas sobre a tragedia. A Folha fala em 30 mil mortos e diz que existe a possibilidade de que o esconderijo do Bin Laden tenha sido atingido. Duvido. Se foi, ele nao devia estar dentro.

E eh como outro amigo meu, norte e sul americano, disse: tem muita gente ruim naquele pais, mas duvido que entre os mortos nao houvesse gente boa. Maniqueismos a parte, claro que havia. Mas ha ainda os que recusaram a ajuda de Israel, que tem especialistas para lidar com terremotos e com o aftermath.

Pena. Copiaram o Ira na cagada. E enquanto isso, quem sabe quanta gente mais vai morrer, soterrada e por causa do atraso no socorro, que nunca pode ser ser suficiente quando o numero de feridos eh estimado em 40 mil pessoas, quem sabe mais...

Mundo louco de gente insana.

Por aqui, tudo na mesma. Sumido por tanta burocracia e pequenas coisinhas do dia a dia que eu tenho que resolver pra viver: o Exercito, o trabalho, papeis, conta no banco, o hebraico...

Mas tem os amigos que nao sao so amigos... Gente foda, no melhor sentido da palavra. Amigos pra toda hora - pro jantar de shabat com pao queimado e pro colo quando a carencia bate! E com eles vou passar Yom Kipur, jejuar na quarta-feira...

Tempo de repensar as merdas do ano. Tempo de corrigi-las. Ainda da tempo.

Gmar Chatima Tova.