31.12.03

Updating
Escrevo de tachana mercazit (estacao central) de Jerusalem, sem acentos, apenas para contar da mudanca de planos para o Reveillon. Vou ficar por aqui, vai rolar uma festa no encontro de estudantes que estou acompanhando -mais de mil estudantes de todo o mundo, muita gente do Brasil...

O Egito fica pra depois, a ideia nao morre aqui!

A capital israelense estah fria e linda como sempre. Ontem a noite fui ao Kotel, o Muro das Lamentacoes, pela primeira vez desde que cheguei. Desde que estive ali pela primeira vez, em primeiro de maio do ano passado, nunca tinha visto o Kotel com tanta gente. E era tarde, ja! Passava das dez da noite...!

Hoje encontrei a Denise, a Dani Katz e a Fabi Press, que estao "internadas" em um programa do Binyan Olam... Engracado ve-las em saias compridas, "disfarcadas" de religiosas!

Pequenos (grandes) prazeres -série gastronomia
Shwarma na lafa, encontrada por alguns bons trocados em qualquer boteco ou nos melhores restaurantes israelenses. Eh uma verdadeira refeicao, alem de ser deliciosa. Mais uma das coisas que so em Israel se pode experimentar!

Feliz 2004! Boas entradas!!!

30.12.03

Life must go on
Estive ontem, de novo, em Raanana. Fui com duas amigas, a Nanu e a Betina, à salsa. Havia lá cerca de 100 pessoas, a maioria israelenses, aprendendo e praticando a dança latina, com muita graça -e, temos que contar, regados a doses de tequila!

Toda vez que me deparo com situações assim, em que jovens israelenses se divertem, dão risada, curtem a vida etc, fico contente. É uma sensação de que, apesar de todas as adversidades que enfrentam, e mesmo em meio a uma guerra, eles colocam em prática a máxima "the show must go on"!!!

Fotos no álbum!

29.12.03

Pista

Ainda não está 100% certo, mas isso é
uma pista sobre onde será meu Reveillon...!
Pequenos prazeres -série gastronomia
Esse é da lista dos produtos israelenses que qualquer pessoa tem que consumir para que sua viagem a Israel seja realmente completa: leite com banana pronto para beber da Tnuva. Uma alternativa é o leite com banana batido na hora no Yotvata, restaurante do kibutz homônimo que pode ser encontrado em qualquer cidade israelense -destaque para o de Tel Aviv, que inclui uma vista maravilhosa da taielet (calçadão da praia). Coisas que simplesmente não podem não ser provadas em terra israelense!

28.12.03

Volta pela capital
Estive hoje em Jerusalém, tentando renovar a minha carteira de imprensa. Não consegui graças à tecnologia...! É que o sistema do correio, onde fui pagar a taxa, caiu, e não pudemos (o Nahum e eu) terminar o processo... Tem coisas que só a tecnologia faz por você... Melhor: depois de amanhã eu terei que voltar pra Jerusalém especialmente pra fazer isso! E bom também porque comemos bagels (Holy Bagels!) maravilhosos perto da rechov Yaffo, no centro!

Do Ha'aretz, hoje:
IRAN ESTIMATES: OVER 20,000 PERISHED IN EARTHQUAKE.
(?). Iran: we will take aid from everyone - except Israel.

Que morram, então. Idiotas...

UPDATE
Andei pensando e reconheço que a população nada tem a ver com isso. É uma pena que vivam sob um regime tão burro e ditatorial e que precisem ver negada a ajuda que Israel ofereceu -e sempre oferece, em casos de catástrofes como a que assolou o Irã. Por isso, retiro o que disse sobre a população, mas mantenho o "idiotas", para o governo iraniano...
A vida imita a arte que imita a vida
Tenho o costume de querer reproduzir as coisas a que assisto na telona. Antes de vir a Israel vi "Coisas belas e sujas", filme inglês sobre a realidade de imigrantes ilegais tentando sobreviver em Londres. Em Tel Aviv a coisa é igual. Números oficiais dão conta de 200 mil imigrantes sem papelada, mas há quem fale em meio milhão.

Conheci aqui em Ramat Aviv, há mais de um ano, o nigeriano Tony, que já voltou para seu país, depois de fazer algum dinheiro por aqui. Ele fazia a limpeza da casa do Nahum, uma vez por semana, e provavelmente de outras muitas. Tipo simpático, com um sorriso fácil e freqüente, bem-humorado e que arriscava palavras em hebraico. Disfarçava bem o que devia ser o sofrimento de um imigrante ilegal.

Quando, há alguns meses, ocorreu um atentado na estação central de Tel Aviv, no qual morreram mais imigrantes ilegais do que cidadãos israelenses, ficamos preocupados com ele. D-s, o nosso ou o dele, o protegeu e trouxe boas notícias: ele estava bem longe dali na hora da explosão da bomba que um terrorista palestino levava atada ao seu corpo.

Hoje conheci a peruana Juanita, que ocupa o lugar deixado pelo Tony. Ela fala quechúa, e até me ensinou uma palavra no idioma inca: "gracias", igual ao espanhol. Moça (ela certamente adoraria ser chamada assim) doce, explicou que o idioma dela tem mais doçura do que o espanhol. Talvez quando pronunciada por ela, não sei... Juanita vive há oito anos como ilegal em Israel, e ainda não sabe hebraico.

Assim é a vida. Os países têm crises, seus cidadãos buscam um lugar ao sol fora dali. E encontram certamente qualquer coisa que não merece ser chamada de lugar ao sol. Mas com jogo de cintura e bom humor, enfrentam as dificuldades -seja com um largo e simpático sorriso num rosto quase azul de tão negro, seja com aulas rápidas do idioma doce falado na América Central.
Já tenho acentos (nota-se, não?!)
Blog de jornalista
Muito se fala sobre a utilidade dos blogs para os jornalistas, que teriam neles o meio de contar o outro lado da notícia, aquele que raramente é publicado nos veículos para os quais os arautos trabalham. Sou jornalista e tenho esse blog, mas raramente o utilizo com essa finalidade...

Contudo, aqui de Israel, trabalhando como correspondente para três revistas brasileiras, vou acabar fazendo isso. Uma das primeiras observações que eu já fiz foi a de que embora eu não goste de fazer TV, reconheço que seria muito mais fácil cumprir o objetivo de algumas das minhas matérias com um microfone e uma câmera na mão...

Estive anteontem à noite, como as fotos denunciam, na "balada" israelense típica. Estava em Raanana, cidade perto de Tel Aviv, com argentinos que vieram para cá há 3, 4, 5 anos. A cidade é basicamente formada por imigrantes. Mesmo assim, todos (especialmente os jovens que vi) adotam o israeli way of life!

E em conversês com minhas amigas argentinas, a maioria delas querendo voltar para lá, para "casa" (tanto que seus quartos são verdadeiros santuários de adoração do país de origem), pude entender alguns dos sentimentos de quem vive constantemente com a idéia de que um ônibus pode explodir ou com alguma memória de alguém que foi vítima (morto ou ferido) de algum atentado terrorista.

As coisas não são fáceis por aqui. E não estão fáceis, ultimamente, com a crise que tem assolado a economia do país. Mesmo assim, sobrevive-se e vai-se normalmente à balada.

Pequenos prazeres -série gastronomia
Twizzlers Licorice Bits, fabricados nos EUA e vendidos em qualquer supermercado israelense...

27.12.03

Fotos
Tem fotos novas daqui de Israel e da balada de ontem no álbum. E criei um outro álbum, so com fotos daqui... Pareco um viciado nisso de fotos, ne?! Bem, eu sou...!

26.12.03

Shabat, o primeiro
Estou em Raanana, perto de Tel Aviv, na casa de uma das leitoras mais assiduas do 23ª idade..., a Betina!!! Daqui a pouco vamos a uma festa... Eh o primeiro Shabat dessa minha volta a Israel. Como fiquei dormindo o dia todo, porque cheguei acabado ontem, perdi o horario pra poder ir a Jerusalem (no Shabat tudo fecha e os onibus param de circular!)... Fico por aqui, entao! E ja vou a uma festa!

Shabat Shalom!

Nao tenho acentos. Nota-se, nao?!

25.12.03

Da chanukiá à televisão
Cheguei em Israel. Mal tínhamos nos reunido (Nahum e a cunhada, Iossi, as crianças e eu) ao redor da chanukiá, para o acendimento das sete velas por ocasião do sétimo dia de Chanuká (e eu fiz o acendimento de uma das chanukiot) e corremos para a televisão: depois de tanto tempo de calmaria, acaba de acontecer um pigua, um atentado, com pelo menos três mortos e inúmeros feridos.

É, eu cheguei em Israel.

24.12.03

Insônia de véspera
São quatro horas da madrugada. Viajo dentro de mais algumas horas. Mas não consigo dormir. É essa ansiedade, esse incômodo pela sensação de poder estar esquecendo algo importante... Mas eu já olhei mil vezes minha mochila, já conferi tudo.

Então fui fuçar na outra "mochila", a que tem uma bagagem muito especial: seis meses em Israel, seis meses de relatos emocionados, tristes, empolgados, de narrativas sobre o que eu descobri naquele país.

Vivi em Israel os melhores e mais intensos meses da minha vida. Não consigo ter dúvida disso. Daqui a pouco estarei voltando pra lá. Não consigo dormir por causa disso. Vou voltar a fuçar na "mochila" e me entreter com os relatos!

Iris (Goo Goo Dolls Lyrics)
And I'd give up forever to touch you
'Cause I know that you feel me somehow
You're the closest to heaven that I'll ever be
And I don't want to go home right now


And all I can taste is this moment
And all I can breathe is your life
'Cause sooner or later it's over
I just don't want to miss you tonight


And I don't want the world to see me
'Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am


And you can't fight the tears that ain't coming
Or the moment of truth in your lies
When everything feels like the movies
Yeah you bleed just to know you're alive


And I don't want the world to see me
'Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am


And I don't want the world to see me
'Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am


And I don't want the world to see me
'Cause I don't think that they'd understand
When everything's made to be broken
I just want you to know who I am


I just want you to know who I am
I just want you to know who I am
I just want you to know who I am
0

Partiu
Esse provavelmente é meu último post antes de embarcar (falo como se eu fosse de barco...!) para Israel, em (bem) menos de 24 horas! Na verdade, faltam exatas quinze horas para o avião decolar em direção a Frankfurt e de lá para Tel Aviv. Não vejo a hora de chegar...!

As malas já estão prontas, pelo menos 85% dos itens da minha lista de "coisas para fazer antes de viajar" já estão feitas, passaporte e passagem já estão checados... Mas a sensação de frio na barriga e de ansiedade é a mesma que sinto sempre que vou pra Israel...

Bom, desde já, um feliz Natal, um 2004 maravilhoso e boas festas! Não se esqueçam de acompanhar meu blog, meus emails (clicando abaixo!) e as minhas fotos, no flog novo!!

MOCHILÃO
EM ISRAEL






É isso aí! Próximo post só de terras asiáticas...!

23.12.03

Menos de 24 horas...!
Israel



É amanhã!!!
Novo Flog
Só pras fotos de Israel criei um Flog. Está aqui!
Ponto de interrogação
Tem coisas que eu definitivamente não entendo. Mas sinceramente prefiro deixar assim, sem entender, sem poder explicar. Dá menos trabalho. E nem é assim tão importante, pra falar a verdade...
Descobertas
Eu e a Adriana, em alguma festa!Passei os últimos dias com a minha irmã, que tem me ajudado em coisas que vão desde fazer a mala para a viagem até entender as pessoas (não que tenhamos conseguido...)! Temos muitas diferenças, como todos os irmãos, mas nos descobrimos grandes amigos! E em uma semana tivemos papos filosóficos, contamos coisas que nunca soubemos um do outro, pensamos em como sair do aperto em que nos encontramos... Baixinha, se cuida! Já estou morrendo de saudade de você e dessa semana que passamos juntos (se bem que amanhã tem mais, né?!). Sou um sortudo por ter os irmãos que tenho!

21.12.03

Dor-de-barriga
O Ministério da Saúde adverte: ansiedade por conta de proximidade de viagem provoca efeitos colaterais diversos.

Já estou sentindo...!
Ainda o no mínimo




Também na edição desta semana (se é que existe isso na internet, onde as coisas se renovam na hora que se quer, onde "fechamento" é palavra morta), está um texto do Arthur Dapieve sobre o ensaio (e o outro ensaio) da Luciana Vendramini para a Playboy.

Assim como ele, eu não resisti quando soube do novo ensaio, anos depois daquele primeiro, cujo pôster amarelou um pedaço da parede do meu quarto quando eu tinha meus 14 anos. Assim como o Dapieve, em O sinal sob o seio esquerdo, eu fiquei com a nostálgica e melancólica impressão de que a ninfeta que eu também venerava já não é a mesma.

E não é a mesma não só porque quinze anos se passaram. Mas porque, como escreveu o articulista, "Luciana envelheceu. E este verbo não possui somente implicações físicas". Como disse Dapieve, "Surpreendente foi a transformação em seu rosto. Repito: ela continua linda, apesar de não ser mais a mesma pessoa. As feições se apagaram, os olhos escureceram".

Mesmo assim o ensaio vale a pena, como ele também reitera. E deverá valer a pena em dezembro de 2018, com a Luciana quarentona. E bem como o novo ensaio, que merece um passeio pelas páginas da Playboy 341, o texto de Dapieve vale a leitura. Mesmo que ele tenha errado o lado do sinal -fica sob o seio direito!
No mínimo, o máximo
É excelente o conteúdo do site no mínimo, apesar de alguns colunistas que deixam a desejar em seus julgamentos sobre assuntos que desconhecem, como o Mario Sergio Conti, que escreve de Paris -e que recebeu lá, na capital francesa, um email meu que nunca respondeu, com críticas...

Essa semana, contudo, ele pousou em São Paulo e escreveu um texto bastante interessante sobre essa cidade caótica que, nas palavras dele, com as quais sou obrigado a concordar, nesse caso, "continuará sua marcha frenética rumo a si mesma". O artigo do autor de bobagens publicadas outrora chama-se Passeio paulistano. E vale a visita. A leitura, isso.
Fundo musical
Aqui toca Sade, do disco Lovers Rock. Vai ser a trilha do meu sono de hoje! Já está (já passou?!) na hora de dormir...!
Israel



E contando...
Balagan significa confusão, "quilombo"
Acabo de voltar do Balagan, um bar na Vila Madalena que já foi legal, onde se podia fumar narguila, escutar músicas diferentes das tradicionais bate-estaca e bater papo com os amigos. Virou um lugar feio e cheio de gente se esbarrando. Além disso, a narguila, que era a atração da casa, tem que ser disputada (só tem uma, mesmo...) por todos os clientes...

Mesmo assim, estava entre amigos queridos, em uma espécie de despedida improvisada de última hora: a Sof, do México, que passou três dias no caos de Sampa, meus primos ("brimos") Michel e Sabrina, e a minha irmã Adriana, com o namorado Jean e duas amigas, uma delas a Pow, que morou com ela na Austrália!

De vez em quando basta estar cercado de pessoas queridas para o programa ser redondo! Da próxima vez eu levo a minha narguila!

20.12.03

Israel


Contando, ao som de Shlomo Artzi...

E ainda tenho tanto por fazer!
A lista, pendurada na minha parede, é enorme!

19.12.03

Newsletter



Clique para entrar no Mochilão em Israel e para
receber as minhas notícias enquanto eu estiver por lá!

(Mas o blog continuará sendo atualizado!)
Pequenos prazeres -série alívio
Nada como, num dia quente e de trânsito caótico, como o de hoje, e quando se precisa ficar dirigindo pela cidade sem parar, como foi o meu caso, arrancar o sapato apertado, abrir as janelas e colocar o som do carro bem alto...

Israel: aí vou eu! Faltam 5 dias.
We wish you...
Já que eu estou indo pro inverno, esse é o meu cartão de fim de ano! O meu reveillon certamente será ótimo! Espero sinceramente que todos os leitores do blog, assíduos ou eventuais, e suas famílias, tenham uma passagem excelente e um ano novo com tudo aquilo que vocês desejam e muito mais!

Shabat Shalom, também!
Homo sapiens
Incrível como sempre fazemos as coisas parecerem mais dramáticas ou mais intensas ou mais apaixonantes ou mais passionais ou mais doidas ou mais tristes ou mais promissoras ou mais etc do que são...

Pra quê, né?!

17.12.03

Dia de festa
A balada é de formatura... Já vou indo... Depois, fotos!


[Update]
Quer saber? Vou sim...
Passatempo
Fazia tempo desde a minha última visita ao centro de São Paulo. Fui hoje para o Poupa Tempo da Sé, para cuidar do licenciamento do meu carro. Poupa tempo? Para qualquer coisa há filas, todas enormes: no caixa do banco para pagar as tarifas, num outro guichê para pegar uma senha e num salão cheio de gente olhando para um painel onde as senhas aparecem para finalmente ser atendido e pegar o documento... E tem mais: fila no caixa da lanchonete, fila para pegar o café e o salgado... Só faltou fila pro banheiro, mas vou falar baixo para que ninguém tenha essa idéia...!
Casamento de viúva
Fez um calor do inferno ontem em São Paulo. Precisei andar de ônibus por toda a cidade porque meu carro pifou e suei pacas! Estava mesmo muito quente. Tão quente que até saí sem blusa, à noite, para cobrir um evento... E sem guarda-chuva, claro... E, como manda Murphy, quando desci do ônibus, com muito calor, desabou um toró (aquilo não pode ser chamado de "chuva", só!) e fiquei ensopado...

Tem coisas que só a Cidade da Garoa faz por você...!

15.12.03

Threesome
Um grande comitèe merecia um grande blog!
Apresento a todos, então...
(ouve-se tambores com som crescente)

o blog do comitèe

(tambores cessam, de repente)

agá-tê-tê-pê-dois-pontos-barra-barra-comitèe-ponto-blogspot-ponto-com
(ou simplesmente clicando aqui)
Formatura
As fotos já estão no álbum.
Pausa no filme
||

Pause


Estou formado. Pelo menos "judaicamente". Como disse um dos formandos na cerimônia, a formatura é uma pausa no filme da vida, que existe para que a gente faça um balanço do que foi até o momento. Estou formado. Mas ainda faltam seis meses...!

>

Play


Amanhã, quando a minha dor-de-cabeça passar, coloco fotos no álbum.

13.12.03

Am echad
[UPDATE DO CARMEL]
Sempre quis aprender dança folclórica israeli. Sempre não! Na verdade, faz pouco tempo que eu me identifico a ponto de querer dançar. Houve épocas em que eu só ia para o Carmel para assistir. Nessas épocas, meu pai queria, ele sim, que eu dançasse -até chegou a oferecer mil dólares para me ver no palco!

Eu nunca aprendi. Mas hoje, com ajuda de alguns harkadoidos pacientes, o Marcus e a Silvia, eu arrisquei alguns passos (e errei muitos) no Carmel. Foi divertido.

Mas o ponto alto do dia foi assistir a uma dança que o grupo gaúcho Kadima trouxe, contando a trajetória do povo judeu e a saída dos judeus escravos do Egito, chamada "Moisés". No meio da apresentação, de 18 minutos, eu já estava chorando. Muito emocionante, tanto pela beleza dos cenários, como pela maneira como a lehaká retratou as passagens -como as pragas, o mar se abrindo...

Enfim, fico arrepiado só de me lembrar. São essas coisas que me dão a exata sensação do significado da expressão "Am echad".

[GLOSSÁRIO]
(*) "Am echad" significa "um povo", em referência ao povo judeu, que mesmo disperso e vivendo em muitas partes do mundo, é um só. "Harkadoidos" é uma expressão criada para designar os viciados em "harkadá", dança folclórica israeli de roda. "Kadima", além de ser o nome do grupo de Porto Alegre, significa "adiante". "Lehaká" é o nome que se dá para um grupo de dança.
Imigração
Se você decidisse sair do seu país, emigrar, mudar, começar vida nova em algum outro lugar, o que levaria com você? O que deixaria?
Saudade
Não paro de pensar em você. Mas seus traços me fogem, já não sei bem como é o gosto do seu beijo -só sei que é delicioso. Não me lembro bem do desenho do seu sorriso, de como seus olhos ficam quando nos olhamos. Seu cheiro já se dissipou, misturou-se a tantos outros cheiros... Aquele bater louco do meu coração, que só quando estamos juntos, não aconteceu de novo.

Preciso te ver.

12.12.03

Natal e Chanuká, na Bundesrepublik
A cada dois anos, sabe-se lá a razão, o Consulado Geral da República Federal da Alemanha em São Paulo (Generalkonsulat der Bundesrepublik Deutschland in Sao Paulo) me manda um bonito calendário de mesa para o ano seguinte.

Ricamente ilustrado com lindas fotos das cidades alemãs, o calendário tem mensagens realçando tudo que o país tem de bom e as vantagens de viver por lá.

No de 2004, que chegou esses dias, veio um cartão junto. Diz assim, seja lá o que for (eu acho que é algo como o típico "feliz natal e próspero ano novo"):

Frohes Weihnachtsfest und ein glückliches Neues Jahr

E acima, manuscrito, na mesma letra de quem assina:

Feliz Chanuká!

Achei um barato!
Carmel
Começa hoje o 23º Festival Carmel. É o segundo maior festival de dança folclórica israeli do mundo (o primeiro é o Carmiel, em Israel, que rola em julho -eu estive lá em 2002, quando tirei a foto ao lado e muitas outras...!).

Quem estiver em São Paulo neste fim-de-semana não pode deixar de passar na Hebraica em qualquer horário entre a noite de hoje e a noite de domingo, para ver os shows, participar das harkadot (danças de roda) etc.

Mais informações sobre a 23ª edição do Carmel aqui.
A Aleinu fez uma cobertura completa do último Carmel, aqui.

Shabat Shalom.
Catorze, zero-meia
Alguém já descobriu se as Facas Ginsu são capazes de cortar as Meias Vivarina? Essa dúvida nunca saiu da minha cabeça... Tanto que uma vez eu liguei no 1406 pra perguntar. Mas não obtive resposta...!

11.12.03

Pau pra toda obra
Arrumei um trampo! De marceneiro, na casa da minha mãe...! Hoje passei a tarde lixando um móvel gigante e antigão dela!!! Até que foi divertido, embora eu tenha deixado a sala parecendo Nova York depois do 11 de setembro! Uma poeira só... Amanhã a tarefa continua... Acho que acabo de lixar o móvel antes do Reveillon. De 2006...!

10.12.03

Would you...?
Hmmm...
I've noticed you're around
I find you very attractive
I've noticed you're around

Hmmm...
I find you very attractive
I find you very attractive

Hmmm...
Would you go to bed with me?
I've noticed you're around

Hmmm...
I find you very attractive
Would you

Hmmm...
I've noticed you're around
I find you very attractive
Would you

Hmmm...
Hmmm...
Would you go to bed with me?
I've noticed you're around
I find you very attractive
I've noticed you're around

Hmmm...
Sobre a nova foto
(Da série "A história por trás da imagem")
Essa eu tirei em Jerusalém, no banheiro de um hotel maravilhoso onde acabei ficando porque os albergues, em Yom Kipur, estavam todos lotados -os soldados reforçam a segurança nos feriados religiosos e se hospedam nos albergues da cidade. A foto foi tirada no espelho, com a minha câmera Canon, que tem a mesma idade que eu... Pra ver inteira, clique aqui.

9.12.03

Kundera
Nunca se pode saber o que se deve queres, pois só se tem uma vida e não se pode nem compará-la com as vidas anteriores nem corrigi-la nas vidas posteriores.

Mas o que pode valer a vida, se o primeiro ensaio da vida já é a própria vida? É isso que leva a vida a parecer sempre um esboço.

Tomas não sabia então que as metáforas são uma coisa perigosa. Não se brinca com as metáforas. O amor pode nascer de uma simples metáfora.

Voltei a ler A insustentável leveza do ser. Vamos ver se desta vez vou até o fim...! Da última tinha esquecido o livro em Israel.
All around

Quentinhas
Mais um serviço que agora o 23ª idade... disponibiliza: as últimas notícias do Oriente Médio, atualizadas segundo-a-segundo (+)!
Línguas
Sabe quando as expressões de um certo idioma ficam tão enraizadas que a gente as usa traduzidas para o português? E sabe quando a gente faz isso, naturalmente, e alguém percebe, porque conhece a expressão no outro idioma?!

Adoro isso!

8.12.03

Reprise
Ok! Confesso que vi Albergue espanhol de novo! E continuo recomendando! Lembro que uma vez assisti o mesmo filme sete vezes -seguidas- no cinema... Era Os aventureiros do bairro proibido, e eu tinha uns 8 anos!
Palácio ou favela?!
Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou no Cairo às 12h55 (8h55, hora de Brasília), com uma hora de atraso em relação a seu programa de visita ao Egito. Do aeroporto, ele seguiu diretamente para o Palácio presidencial de Heliópolis, onde manteve um encontro privado com o presidente Hosni Mubarak... (daqui).

A notícia não é essa, claro. Conta que o Lula disse que o Brasil "quer ajudar na paz do Oriente Médio"... Arrã... E eu acredito em Papai Noel e no Coelhinho da Páscoa! Como bem disse a Larissa Grau, em Longa vida ao ditador (na Aleinu), "o PT, historicamente, vem estabelecendo laços com políticos de conduta democrática questionável, porém, em sua mais recente viagem, dentre tantas outras, desta vez ao Oriente Médio, o nosso presidente foi além do que deveria ser a fronteira do tolerável para os homens de bom senso".

E alguém precisa dizer pro Estadão, ou pra Denise Chrispim Marin, que Palestina (ainda) não existe...!
Família é, família ah, família...
A família é o primeiro grupo social de
contato do ser humano. É a base da
sociedade, geralmente iniciada pelo
matrimônio e formada por pais e filhos.
Os valores permanentes que concorrem
para a existência da família são: amor
recíproco, confiança, cooperação,
respeito, compreensão e tolerância. No
entanto, o amor é o componente
principal que dá vida à família e firma o
laço de união entre os seus membros.


Hoje é o dia nacional da família...!
Água-com-açúcar
Li no blog da Camila, outro dia, sobre os amigos que ela ganhou através da internet, das linhas deliciosas que ela escreve no Cirilo, o blog de quem só quis dizer...! E de repente me dou conta de que afinal também conheci muita gente nesse ano-e-pouco do 23ª, meu brinquedo de todos os dias! Como diz a Ca (posso plagiar, Ca?!), não sou chegado a viadagens, mas conheci muita gente especial por esse blog, gente tão próxima como vizinhos de bairro e tão distante que está espalhada pelo mundo todo! That's what it's all about!
:>)

Just a little patience... Yeah, yeah...

7.12.03

Vestibular
25 COISAS QUE VOCÊ DEVERIA SABER ANTES DE ENTRAR NA FACULDADE
1 - Não importa o quão tarde ou o quão cedo é a sua primeira aula, você vai dormir durante ela.
2 - Você vai mudar completamente e nem vai notar.
3 - Você pode amar várias pessoas de maneiras diferentes.
4 - Alunos de faculdade também jogam aviões de papel durante as aulas!
5 - Se você assistir às aulas calçado, todo mundo vai perguntar por que você foi tão chique para a faculdade.
6 - Cada relógio no prédio mostra um horário diferente.
7 - Se você era inteligente no colegial... azar o seu!
8 - Não importa tudo o que você prometeu quando passou no vestibular; você vai às festas da faculdade, mesmo que elas sejam na noite anterior à prova final.
9 - Você pode saber toda a matéria e ir mal na prova.
10 - Você pode não saber nada da matéria e tirar dez na prova.
11 - A sua casa é um ótimo lugar para se visitar.
12 - A maior parte da sua educação é adquirida fora das aulas.
13 - Se você nunca bebeu, vai beber.
14 - Se você nunca fumou, vai fumar.
15 - Se você nunca transou, vai transar.
16 - Se você não fizer nada disso durante a faculdade, não fará nunca mais na vida, a não ser que faça uma nova faculdade.
17 - Você vai se tornar uma daquelas pessoas que seus pais falaram para você não se meter com elas.
18 - Psicologia é, na verdade, Biologia.
19 - Biologia é, na verdade, Química. Química é, na verdade, Física. Física é Matemática.
20 - Ou seja, mesmo depois de estudar anos, você não vai saber nada.
21 - Sentir depressão, solidão e tristeza não são frescuras de quem não tem o que fazer.
22 - Você sempre vai prometer que no próximo bimestre vai estudar mais, festejar menos, mas sempre acontecerá o contrário.
23 - As únicas coisas que compensam a faculdade são os amigos que você fará lá.
24 - Não verá a hora de terminar a faculdade.
25 - E quando terminar, perceberá que foi a melhor época de toda a sua vida.
Mix
Meigo o filme Simplesmente amor. Meigo, sim, mas muito... "filme"!!! Gosto de coisas reais. Fico, por isso, com Albergue espanhol. E recomendo, de novo e insistentemente, para quem ainda não viu!

Amanhã (hoje, domingo!) estarei cobrindo a 3ª Corrida da Shalom, "a corrida pela paz". Vai começar às 9h (ninguém merece...!) na USP. Quero só ver se eu vou acordar...!

Saiba como não perder seu emprego por causa do seu blog aqui. Se alguém achar dicas de como recuperar ou conseguir emprego com ajuda do blog, me conta, ok?!

Elvis é tudo de bom... É ou não é?! Foi a minha trilha musical de hoje...

6.12.03

Recado
Seguinte: por que você não enfia o dedo no cu e cheira, pra saber se está podre? Sim, porque está parecendo...

Que ódio...

4.12.03

Em resumo
Tem uma tristeza surda aqui dentro. Uma vontade de cair na cama e chorar até a mágoa passar. Fico muito, muito triste quando as pessoas agem injusta e cruelmente comigo. Muito mais triste do que deveria. Muito mais triste do que fica qualquer pessoa adulta. Só não sei o que fazer para deixar de ser assim.

(Roubado (e adaptado a partir de original) da Camila. Tô passado demais pra ainda por cima ficar criando... Me desculpa, Cá?!)
Como vemos o mundo
Tá, eu não morri. Mas cheguei perto, como em um daqueles mergulhos profundos em nós mesmos, na nossa essência, no nosso espírito, nas nossas piores condições. Não morri, mas estive triste, magoado. As coisas pareceram ruins demais. Fiquei sem esperança, decepcionado, frustrado. Deixei de acreditar em pessoas e instituições, me distanciei das coisas. Foi um espécie de coma rápido. E, enquanto via meu corpo ali, deitado, inerte, Einstein veio me falar. E me disse assim (*):

"Minha condição humana me fascina. Conheço o limite de minha existência e ignoro por que estou nesta terra, mas às vezes o pressinto. Pela experiência cotidiana, concreta e intuitiva, em me descubro vivo para alguns homens, porque o sorriso e a felicidade deles me condicionam inteiramente, mas ainda para outros que, por acaso, descobri terem emoções semelhantes às minhas.

E cada dia, milhares de vezes, sinto minha vida -corpo e alma- integralmente tributária do trabalho dos vivos e dos mortos. Gostaria de dar tanto quanto recebo e não paro de receber. Mas depois experimento o sentimento satisfeito de minha solidão e quase demonstro má consciência ao exigir ainda alguma coisa de outrem. Vejo os homens se diferenciarem pelas classes sociais e sei que nada justifica a não ser pela violência. Sonho ser acessível e desejável para todos uma vida simples e natural, de corpo e de espírito.

Recuso-me a crer na liberdade e neste conceito filosófico. Eu não sou livre, e sim às vezes constrangido por pressões estranhas a mim, outras vezes por convicções íntimas. Ainda jovem, fiquei impressionado pela máxima de Schopenhauer: "O homem pode, é certo, fazer o que quer, mas não pode querer o que quer"; e hoje, diante do espetáculo aterrador das injustiças humanas, esta moral me tranqüiliza e me educa. Aprendo a tolerar aquilo que me faz sofrer. Suporto então melhor meu sentimento de responsabilidade. Ele já não me esmaga e deixo de me levar, a mim ou aos outros, a sério demais. Vejo então o mundo com bom humor. Não posso me preocupar com o sentido ou a finalidade de minha existência, nem da dos outros, porque, do ponto de vista estritamente objetivo, é absurdo. E no entanto, como homem, alguns ideais dirigem minhas ações e orientam meus juízos. Porque jamais considerei o prazer e a felicidade como um fim em si e deixo este tipo de satisfação aos indivíduos reduzidos a instintos de grupo.

Em compensação, foram ideais que suscitaram meus esforços e me permitiram viver. Chamam-se o bem, a beleza, a verdade. Se não me identifico com outras sensibilidades semelhantes à minha e se não me obstino incansavelmente em perseguir este ideal eternamente inacessível na arte e na ciência, a vida perde todo o sentido para mim. Ora, a humanidade se apaixona por finalidades irrisórias que têm por nome a riqueza, a glória, o luxo. Desde moço já as desprezava.

Tenho forte amor pela justiça, pelo compromisso social. Mas com muita dificuldade me integro com os homens e em suas comunidades. Não lhes sinto a falta porque sou profundamente um solitário. Sinto-me realmente ligado ao Estado, à pátria, a meus amigos, a minha família no sentido completo do termo. Mas meu coração experimenta, diante desses laços, curioso sentimento de estranheza, de afastamento e a idade vem acentuando ainda mais essa distância. Conheço com lucidez e sem prevenção as fronteiras da comunicação e da harmonia entre mim e os outros homens. Com isso perdi algo da ingenuidade ou da inocência, mas ganhei minha independência. Já não mais me firmo uma opinião, um hábito ou um julgamento sobre outra pessoa. Testei o homem. É inconsistente."

Falou e foi embora. E eu acordei. E pensei em tudo. E vi que, na verdade, não tinha morrido, mesmo. Só tinha ficado um pouco louco.

(*) trecho do livro Como vejo o mundo, de Albert Einstein, 17ª edição, capítulo 1, 'Como vejo o mundo'. Livro que eu encontrei e comecei a ler quando estava "em coma".
Epitáfio



Este blog morreu.

Junto com o dono dele.
:'>(
A rosa e a couve-flor
Um dia, a rosa encontrou a couve-flor e disse: "Que petulância! Se chamar de flor...! Veja sua pele áspera e a minha, lisa e sedosa. Veja seu cheiro desagradável e meu perfume, sensual e envolvente. Veja seu corpo grosseiro e o meu, delgado e elegante. Eu, sim, sou uma flor!".

E a couve-flor respondeu: "É, mas ninguém te come"
Outros quinze segundos...
Ontem terminei de editar uma matéria de TV que vai ser exibida, eu como repórter, na Canbrás (canal ABC3). Ficou bem boa, no fim das contas. Se eu conseguir digitalizar, o que acho difícil julgando o funcionamento das coisas na Metodista, vou colocar aqui (alguém sabe como fazer isso?!).

Bastidores: a matéria é sobre aids, com enfoque na pesquisa que saiu em novembro que dizia que 61% dos brasileiros acham que a doença não mata. Dia 1º, dia mundial de luta contra a aids, rolou um simpósio sobre DST e aids em Mauá... Fomos cobrir e entrevistei alguns especialistas...

Depois, fui fazer a minha passagem [momento em que o repórter de telejornalismo aparece no corpo da matéria, para informações e comentários finais ou simplesmente para a assinatura da reportagem]... Tive que decorar ali um texto que tinha acabado de escrever! Na gravação, errei 19 vezes...! E uma ficou boa!

Entre terça e ontem editamos a matéria, que ficou bem montadinha, bem legal. Quem tiver a oportunidade de assistir (tem que morar no Grande ABC, só passa por lá...), depois conta o que achou! Os horários estão abaixo. Deve passar na semana que vem, mas eu confirmo!

Definitivamente, saímos da faculdade totalmente despreparados para o trabalho em telejornalismo, especialmente. Acho que só a rotina de trabalho ensina, mesmo.

Jornal da Metodista
Produzido por alunos de jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo, esse telejornal divulga acontecimentos internos da universidade, bem como da comunidade e da região do Grande ABC.

Exibições:
Segundas às 15h30h, quartas às 18h30, quintas às 4h e às 11h30, sextas às 13h30 e domingos às 4h

3.12.03





(assim é a minha área de trabalho!)
Ótimo!
Matrix Heineken Revolutions.

Falando nisso, ainda não vi o filme!
Burrinho
Tem uma peça entre o volante e o assento do carro que sempre faz com que ele ande mal, o burrinho. E tem um componente entre o teclado e a cadeira, o mesmo burrinho, que de vez em quando faz o blog desaparecer... Enfim, agora está tudo normal! Bem-vindo ao 23ª idade... de sempre!

2.12.03

Um dia me disseram...
(Da série "Vale a pena ouvir de novo")

Quem ocupa o trono tem culpa
Quem oculta o crime também
Quem duvida da vida tem culpa
Quem evita a dúvida também tem


Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter
Corredor pra quê?!
A Globo tem mostrado, quase diariamente, o trânsito na Nove de Julho. Ironicamente, apesar do caos de obras por lá, tudo anda muito bem. Eu acabei de percorrer quase toda a Nove de Julho e mais um pedaço da Santo Amaro. Mesmo sendo horário de pico, fiz o trajeto em 20 minutos...

O que posso constatar é que o corredor de ônibus dessas avenidas, como o da Nove de Julho, que está desativado e pode ser usado por carros também, só atrapalha o trânsito. Sem ele, mesmo com obras, tudo anda muito bem, obrigado. Então, minha pergunta é: pra quê colocar corredor?!
Long, long time ago...
Estão na internet, em um novo álbum, fotos da minha longínqüa infância, da adolescência sofrida (um pleonasmo!) e algumas até mais recentes. Enjoy, clicando aqui.

1.12.03

Show da natureza
Eram ainda sete da noite e o céu aqui ao lado (eu moro no décimo oitavo andar...!) estava alaranjado. Lindo. De vez em quando a natureza dá shows lindos! De vez em quando, também, a gente recebe notícias maravilhosas! A vida pode ser bela!
Mexa-se
Comece por aqui!
Do Nahum
No último domingo comemorou-se 56 anos da partilha da Palestina, que os ingleses administraram desde o fim da Primeira Guerra Mundial, até outubro de 1947. (mais)
Pois é...
Have you stopped
to think and observe some of your friends??
Each one of them completes... a part of you...

(by Ro)

< Lágrimas nos olhos > É por aí. Por isso eu acho que vou sentir tanto a falta de pessoas que são tão especiais na minha vida. < /Lágrimas nos olhos >
O filme da minha vida
Assisti hoje ao filme que conta a história da minha vida, Albergue espanhol. Nunca me identifiquei tanto com um personagem da ficção (ficção?) como com o que narra esse filme franco-espanhol. Quem assistir (e é daqueles que infelizmente passam em poucas salas -em São Paulo só está em três) vai entender o motivo.

Não quero estragar o prazer de ninguém e ficar contando muito do filme, mas algo tenho que dizer: os sentimentos do sujeito quando volta para Paris, cidade-natal dele, são os mesmos que eu tive (e continuo tendo) quando (e desde que) voltei de Israel ao Brasil. Um vazio, uma saudade imensa daqueles momentos intensos vividos por lá, das pessoas... E, pior de tudo, a sensação (seria melhor dizer "certeza"?) de que "nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia"...

Nunca conseguiria expressar tão bem como fez o diretor desse filme, Cédric Klapish, as coisas que passam e passaram pela minha cabeça desde o momento que eu decidi sair do Brasil para passar três meses (que se tornariam seis, depois) em Israel, até a minha volta e a minha vontade imensa de voltar pra lá pra viver. E de repente vejo tudo isso transformado em filme!

Falta pouco, enfim.

Albergue espanhol
Trailer | Site oficial
Uma foto (parece comigo chegando em Israel!)

FREI CANECA UNIBANCO ARTEPLEX
Rua Frei Caneca, 569
11 3472-2365 - 13h20, 15h50

SALA UOL DE CINEMA
Rua Fradique Coutinho, 361, Pinheiros
11 5096-0585 - 14h40, 17h

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA
Rua Augusta, 1475, Cerqueira César
11 288-6780 - 14h10, 16h40

30.11.03

Lembranças
É engraçado... Eu ouço Tracy Chapman desde pequeno. Aliás, confesso que antes achava que ela era homem, pela voz...! Mas quando escuto Fast car ou qualquer outra música do disco Collection, me lembro de Israel. É que eu comprei esse CD lá, no shopping de Afula, e ficava escutando no meu quarto no (muito) tempo livre que tinha no kibutz...

Estou sofrendo de crise de abstinência. Meu vício é Israel...

29.11.03

Retificação de eixos
Ótima, do disco Cantada, a leitura cantada -é claro!- de "Jornal de Serviço - Leitura em Diagonal", do Drummond, na voz belíssima da Adriana Calcanhotto.
Madrugando
Tem fotos novas no álbum, que eu tirei com o Pedro Malta, o "Gabriel" de Kubanacan, e com a Yeda, que me acordou hoje, sábado, às sete da manhã pra fotografar o pimpolho!

[UPDATE]
Nostalgia parte 986
E tem mais fotos, várias, que eu encontrei fuçando no meu agá-dê. Fotos antigas e memoráveis. Todas no álbum!

Adam
E assim foi criado o mundo (versão tecnológica-futurista-extra-terrestrial e bem-humorada!)

28.11.03

Quem sou eu?
(Da série "Uma crise existencial de
vez em quando até que não faz mal...")


Eu não sou eu
Nem sou o outro
Sou qualquer coisa
De intermédio

...
Vandré
Vem, vamos embora...
Que esperar não é saber.
Quem sabe faz a hora,
Não espera acontecer...
Torpedo
Outra forma de entrar em contato comigo: Torpedo! É só entrar aqui, escolher a opção "Envie aqui um TIM Torpedo" e preencher com o número 19 8123-2446. Enjoy!

Está caindo o mundo...!
Mais fotos
Tem mais fotos novas no álbum, tiradas na Metô, e no meu outro Fotolog...!

Shabat Shalom.
Descaso
(Ainda da série "Tem coisas que só o Brasil faz por você")
Esqueci de contar: hoje, entre uma repartição pública e outra cuidando do meu passaporte e da minha situação eleitoral (não é um absurdo sermos obrigados a votar?!), vi um homem passando mal, muito mal, no meio da rua. Eu estava com a minha irmã... O cara estava na pista contrária, não poderíamos parar. Então me pus a ligar pro 193, sem sucesso. Na quarta tentativa me atenderam, com aquela voz típica de quem acha que está fazendo um favor pra humanidade:

- Alô?
- Se a saúde da população depender da qualidade do atendimento de vocês, as pessoas vão morrer pela rua...
- Quem fala?
- Gabriel.
- Qual o seu telefone, Gabriel?
(com tom desafiador)
- Você precisa do meu número pra atender a uma emergência? Tem uma pessoa passando mal no meio da Domingos de Morais, precisa de uma ambulância urgente.
- Você é muito folgado.
- O quê?
- Você está desacatando um policial militar, saiba que está encrencado...
- Meu amigo, você tem um dever na sua posição, que é o de atender bem à população e de, de vez em quando, salvar vidas
... (ok, não foi assim tão poético, mas algo por aí, nesse tom)
- Você está ferrado, essa ligação está sendo gravada.
- Ótimo, então que fique registrado que essa é a quarta vez que eu ligo para conseguir um atendimento e em vez disso estou sendo tratado dessa maneira por você. É uma emergência, tem uma pessoa passando mal no meio da rua.

- (Silêncio)
- Alô?
- (Silêncio)

E o sujeito desligou na minha cara! Que absurdo. Já longe do coitado que estava passando mal, nem sabia mais como ele podia estar. Talvez morto, ali mesmo, graças à indiferença de quem passava por ele, e pelo descaso do serviço público de resgate, talvez recuperado por intervenção divina, sei lá...

Tenho vergonha de ser brasileiro, de vez em quando.

27.11.03

Porra
Que "porra" é um substantivo feminino e um "líquido fecundante, constituído por espermatozóides e por plasma seminal" todos já sabemos. Que "porra" é também uma palavra que "exprime enfado, impaciência, desagrado", idem. Mas um porra é, por exemplo, um vizinho que chama a polícia toda vez que uma casa de eventos realiza um evento... E que não atende ninguém para uma conversa civilizada. E que parece um bebê chorão quando a polícia chega. E que fica na janela observando a movimentação...

Eu conheço um porra. Pelo menos um!
Burocracia
(Da série "Tem coisas que só o Brasil faz por você")
Acabei de voltar da 5ª Zona Eleitoral de São Paulo. Fui lá buscar o meu título de eleitor depois de descobrir que o havia perdido -e que vou precisar dele pra tirar o meu passaporte, que está para vencer. E eis que como eu não votei no primeiro turno das últimas eleições (estava em Israel, afinal), fui obrigado a pagar uma multa... Mesmo um ano depois, a taxa foi de incríveis três reais e cinqüenta e um centavos...

Pior de tudo foi descobrir hoje que o meu passaporte vai vencer um dia antes da minha provável viagem a Israel, que deve ser daqui a menos de um mês... Passei o dia correndo atrás disso hoje...

26.11.03

Aliah
Hoje dei o primeiro passo do resto da minha vida! E ao lado de uma pessoa tri especial!
Fotos
Tem fotos novas no meu ábum. Estou escaneando fotos antigas, bem antigas, e vou montar um álbum com elas... Vão render boas risadas...! Nostalgia pura!

Onde está Wally?
Falando em foto, hoje me mostraram uma, publicada no domingo no Jornal da Tarde, em que eu apareço, no meio da passeata de sábado...! Não me achou? Tente aqui.

25.11.03

Trilha
Música perfeita para trabalhar concentrado à noite ou de madrugada, como eu gosto e costumo fazer: a cabo-verdiana Cesaria Evora. Ela canta em um idioma que não parece com nenhum idioma conhecido, mistura de português de Portugal com francês, com espanhol, com alguns dialetos... Tem um ritmo maravilhoso e faz uns duetos com a Marisa Monte, a voz feminina mais linda da MPB, na minha opinião! Então, Cesaria Evora na caixa...!

Mudança
Minha mãe se mudou no último fim-de-semana. Que ironia! Agora meu pai mora na Consolação e minha mãe, no Paraíso...! Como na velha piada sobre o casamento...!
Uma foto, só, tá?!



Poderia ser qualquer uma destas, também!

24.11.03

Mestre cuca
Eu queria dormir, mas estou com fome e os pães de queijo que estou fazendo ficam grandes mas não douram... Preciso aprender algumas técnicas de cozinha!!!

23.11.03

Dois pra cá, dois pra lá
Hoje vou desenferrujar meus ossos! Ah, se vou! Tava precisando dançar...! Quem dança os males espanta, certamente...!

22.11.03

Quinze segundos
A Folha publicou na edição de hoje do jornal (e na versão online, também), minha foto... Para quem ainda não viu, é essa:



A Época também comprou a foto e deve publicá-la na próxima edição.

Nosso mundo
Hoje participei de uma passeata contra a violência em que foram reivindicadas diversas coisas, como a redução da maioridade penal. Que fique claro: a maioridade penal não deve ser reduzida, mas extinta! Cometeu um crime, não importa a idade: tem que pagar por ele. E bandido na prisão deve trabalhar, pra se sustentar! Ser roubado por vagabundo na rua ou ter que sustentá-lo na cadeia dá no mesmo... Se o Brasil não for capaz de criar um sistema para colocar preso pra produzir então que institua a pena de morte.

[UPDATE]
Merecido?
Fico irritado quando falsos moralistas me dizem que a Liana e o Felipe tiveram o que mereciam, porque mentiram pros pais. Quem é que, quando jovem, não mente, por menor e mais inofensiva ou maior e mais cabeluda que seja a mentira? Além disso, esse argumento é uma tentativa de tapar o sol com uma peneira. O que aconteceu poderia ter acontecido em qualquer lugar. É verdade que eles se colocaram em risco, mas eles poderiam ter escolhido ir a um shoppping center para pegar um cinema e lá, na pseudo-bolha de segurança, poderiam ter sido vítimas de algo parecido...

Não é com falso moralismo que se justifica qualquer coisa assim.

20.11.03

Tell me...



Vou dar um tempo, cuidar de mim, respeitar meus limites, descansar, me dedicar às coisas e às pessoas que realmente são importantes na minha vida, parar de me preocupar tanto e com tantas coisas, aprender a ser mais feliz, controlar meu stress, tentar me animar...

Volto logo... espero!
De novo
Quase 3 da manhã. Insônia outra vez.

Ontem completei meu oitavo mês morando sozinho. Não vai durar muito mais...
Sorte?
Que conste: descobri hoje a importância da combinação hora certa + lugar certo.

Acabei de voltar da Folha...

19.11.03

Dois



Hoje é aniversário do meu irmão, ele. Dois anos!
Não me ofendo, não!
Atendendo a pedidos...

Não se ofenda
Com meus amores de antes
Todos tornaram-se pontes
Pra que eu chegasse a você
Paralisa com seu olhar
Monalisa

(Jorge Vercílo)
Rádio

Agora, no site da MTV, tem música (que coisa óbvia...)! É a rádio virtual MTV, com três canais: Rádio Disk MTV, Rádio Riff e Rádio Especiais MTV.

Estou curtindo a Rádio Especiais MTV, que reúne gravações do Acústico MTV, do MTV Ao Vivo e do Balada MTV.

Recomendo.

18.11.03

Insônia, nostalgia e susto
Não consigo dormir. São quase quatro horas da manhã... Fui fuçar nas minhas coisas encaixotadas, que vieram da mudança da minha mãe, e achei uma caixa de fotos. Antigas, muitas delas. Fotos de quando eu tinha 10, 11, 15 anos... Resolvi separar algumas para digitalizar e colocar na Internet, o que vou fazer em breve...

Viajei nas fotos! Festas no colégio, campeonatos de esportes, viagens, fotos em família, professores e colegas do ginásio, garotas que eu "amei" na pré-adolescência, namoradas de verdade, eu careca com os braços engessados, entre amigos...! Que saudade de tudo isso que eu, com quase 25, já vivi!

E eis que, fuçando nas minhas fotos, achei dois álbuns. São fotos que eu fiz um dia antes de ir pra Israel, em uma manifestação pela paz que aconteceu aqui em Sampa, com mais de 10 mil pessoas vestidas de branco, em 2002.

Na segunda foto que olho, em meio a rostinhos infantis, encontro um conhecido: o da Liana Friedenbach, debaixo de uma faixa onde pode-se ler "contra o terror". Ao lado dela, um rapaz com um boné que diz "paz"...

Estou arrepiado.
Uau!
Só poderia ser coisa de um Gabo, isso, claro! Adoro coisas em flash. Alguém tem dicas muito lindas e legais de sites muito maneiros em flash? Quero ver!
Ética, na prática
Hoje descobri que mesmo numa situação difícil, quase desesperadora, pode-se manter uma postura ética. Fiquei feliz com isso. Recusei uma proposta de trocar algo que tenho por uma grana. É que a proposta feria meus princípios.

Sou um fodido. Mas um fodido com princípios!

17.11.03

Independência
Toda essa curiosidade
que você tem pelo que eu faço
Eu não gosto de me explicar,
eu não gosto de me explicar


Toda essa intensidade,
buscamos identidade

Mas não sabemos explicar,
não sabemos explicar

Se paro e me pergunto:
será que existe alguma razão
Prá viver assim,
se não estamos de verdade juntos


Procuramos independência,
acreditamos na distância entre nós
Procuramos independência,
acreditamos na distância entre nós


Toda essa meia-verdade,
à qual devemos nos conformar
Só conseguimos nos afastar,
mas aprendemos a aceitar


Tantas coisas pela metade,
como essa imensa vontade
Que não sabemos explicar,
que não sabemos explicar


Se paro e me pergunto:
será que existe alguma razão
Prá viver assim,
se não estamos de verdade juntos


Procuramos independência,
acreditamos na distância entre nós
Procuramos independência,
acreditamos na distância entre nós


Os grifos são meus, claro...!
Estamos de olho
Criei um outro blog, o Olhos sobre Israel, que pretende fazer uma análise crítica das notícias publicadas ao redor do mundo sobre Israel e o conflito com os palestinos. Agradeço colaborações.
Aids mata?
Se você respondeu que "sim, óbvio" e achou a pergunta muito idiota, deve saber que no Brasil 61% das pessoas acham que não! É o que revelou um estudo encomendado pela BBC em 15 países.

O Brasil tirou a nota mais baixa na pesquisa, mostrando maior ignorância das conseqüências da aids para o ser humano. Isso em um país onde, só em 2001, de acordo com dados da ONU, morreram 8,4 mil pessoas em conseqüência da doença.

"Mas... Aids não mata mesmo! 'Só' destrói o sistema imunológico e favorece a complicação e o aparecimento de outras doenças..." Então, aids mata, sim! E é por isso (e não (só) pra não engravidar) que deve-se usar camisinha, sempre.

Pra quem pensa que o Brasil só "concorreu" com países desenvolvidos, aí vai a lista: Bangladesh, China, Grã-Bretanha, Índia, Indonésia, Líbano, México, Nigéria, Rússia, África do Sul, Tanzânia, Trinidad, Ucrânia e EUA...

Enquete
Qual sua maior preocupação como brasileiro, hoje? Vote aqui.

Marca
O logotipo acima, que está em todas as propagandas do Ministério da Saúde, na TV, nos jornais e nas revistas, incentivando as pessoas a tirar o peso da dúvida e fazer o teste para ficar sabendo se têm aids, foi criado pela designer Marcia Velihovetchi. Leia mais sobre isso na Aleinu. E leia aqui mais sobre a aids.

16.11.03

Só pra descontrair
Capas
Eu tenho andado na rua, em shopping centers e reparado nas meninas de 16 anos, vivazes, alegres, inocentes, com seus grupinhos, o jeitinho de se vestir ditado pelas amigas... E tenho pensado em como é cruel tirar a vida de uma adolescente. Não que seja menos cruel matar um jovem, um adulto, um idoso, mas acabar tão cedo com vidas que têm tudo pela frente é muito triste.

Mais triste ainda é a forma como foi feito. Ontem até o delegado responsável pelo caso chorou, dando entrevista. Disse que em 22 anos de carreira nunca viu tamanha crueldade. Como um ser humano pode ser capaz de fazer isso com outro? Que força move uma pessoa a provocar tanto mal contra outra, especialmente quando a outra é mais fraca, frágil, assustada, indefesa?

Parem o mundo que eu quero descer, mesmo. E não quero voltar.
Da Veja
• Outdoor em hebraico?
Sim. E em japonês, árabe, alemão... A Chrysler espalhou pela cidade vinte outdoors em oito idiomas. Estão em locais freqüentados pelas comunidades estrangeiras: perto de clubes como A Hebraica e Monte Líbano, de colégios bilíngües e nos bairros de Higienópolis e Liberdade.

Como se todo judeu soubesse ler hebraico, todo japonês soubesse japonês...

15.11.03

Frase
Escrever é virar uma máquina fotográfica para si mesmo.
(Vitor Paiva, revista MTV 31)

Meu blog e vocês que o digam!
Overdose de cinema
Começam na segunda-feira dois festivais de cinema. Um deles, o Festival do Minuto, vai rolar em diversas cidades ao mesmo tempo, até o dia 24 de novembro. O tema central é "mínima diferença". Vai rolar também uma "mostra mãe", e parece que há produções engraçadíssimas sobre as mães.

O outro, o 7 º Festival de Cinema Judaico de São Paulo, vai também até o dia 24 e rola na Hebraica, no Centro da Cultura Judaica, no CineSesc e no MIS. Serão dez filmes de ficção e 18 documentários com temática judaica e premiados nos principais festivais de cinema do mundo (Cannes, Veneza, Berlim e Sundance).

Não vou sair do cinema semana que vem!

Quem dera... Estou na penúltima semana de aula (deste semestre...) na faculdade, já estava me esquecendo... Provas, trabalhos, horas nas ilhas de edição, matérias que têm que entrar "ontem" no ar...

14.11.03

Mundo estranho 2
Comentário que acabei de ouvir de uma garota (estou no lab da faculdade...):

Me empresta seu porte de arma? Quero comprar um fuzil israelense...

Ai, ai...
Dois na cama e um olhando
Sacanagem é passar calor durante toda a semana e a sexta-feira chegar com o frio... Pior é que vou ficar o dia todo fora de casa e estou sem blusa, sem meias, sem nada! Ainda bem que a minha mãe não lê esse blog! Senão, já ia dizer "Filhinho, como você pôde sair de casa sem estar agasalhado?!"...

Shabat Shalom.
"Fase"

12.11.03

Um dia de cada vez...
Ontem meu carro parou sem gasolina na Vinte e Três. Hoje, cortaram meu telefone. Pelo menos seqüestrado eu não vou ser...
Mundo estranho
Ontem eu recebi dois emails sobre o casal de namorados assassinados em São Paulo. Fiquei muito emocionado. Esse caso é mesmo horrível -dois jovens, tão jovens, tão brutalmente mortos, à toa... Não tem explicação, não pode ter...

Ontem mesmo, outro email vindo de fora do Brasil apelava por ajuda para encontrar uma garota desaparecida na Argentina. Hoje, chegou outro, de outra garotinha que não deve ter cinco anos ainda...

O que está acontecendo? Em que mundo vivemos, afinal?
Exercício de imaginação
Pense em uma cidade grande, com milhões de habitantes, que vivem em um ritmo frenético, maluco, pirado... Que tal São Paulo?!

Pense agora em um horário tarde o bastante para estar escuro, já, e cedo, ainda -a ponto de não permitir que as ruas estejam ermas, desertas. Que tal entre 23h30 e 1h?!

Pense em uma avenida larga o bastante para que os carros andem a milhão, a ponto de que nem viaturas policiais consigam ir devagar... Que tal a Vinte e Três de Maio?!

Pense em um povo que tem tanto medo de violência, especialmente depois de notícias como as da última semana (70 atentados contra policiais, desaparecimento e morte de um casal de adolescentes, entre muitas outras...). Que tal os paulistanos?!

Pense, finalmente, na seguinte situação: você com sessenta e cinco centavos, um cartão telefônico e um pager no bolso, nada de celular e o seu carro fica sem gasolina.

Agora mistura tudo isso...

Pois é.

Preciso de um emprego. Não dá mais pra viver assim...

PS.: pra quem acha que isso é só poesia, tem uma foto...

11.11.03

Derretendo
Em um dia como o de hoje, procuramos não a vaga mais próxima, mas a que tem uma árvore em cima... Que calor infernal...! Pior: o trânsito fica caótico (como se precisasse de razão!)... Ê cidadezinha essa nossa...

Só pra constar: estou escrevendo de um McDonald's, em um terminal de McInternet... Vício é ####! Preciso voar pra São Bernardo... "Voar" é um termo super adequado! Queria não precisar me meter no trânsito de novo...

10.11.03

Crazy
But we're never gonna survive unless
We get a little crazy
No we're never gonna survive unless
We are a little
Cray cray crazy


Sério, essa música não está aqui à toa... O que eu vi hoje me faz acreditar que só com um bocado de loucura dá mesmo pra sobreviver... Duas garotas saindo no tapa, dentro da faculdade é coisa de louco... Ainda estou sob efeito da cena dantesca que vi e da qual fui obrigado a fazer parte... Foda!
Na dúvida, um teste!


que blogueiro famoso você é?


9.11.03

Apelo
Eu fico imaginando o desespero dos pais... Então, se tem algo que eu posso fazer e se esse algo é colocar esse banner no meu blog, lá vai...

Geografia
Tem foto nova no meu Fotolog. De Antigua, diga-se!
Saudade
Estou, tipo assim, morrendo de saudade. De um monte de coisas. De um monte de gente. De um monte de lugares...

Ouvir Monday, Monday, dos The Mamas and The Papas, é muito foda. Traz várias lembranças e me força a um mergulho na nostalgia. Não tem jeito. Mas eu não vou tirar, não!

Alguém me consegue uma máquina do tempo? Pra ontem, tá?

7.11.03

Telegrama
Eu não sei dizer o que quer dizer o que vou dizer...

Eu não vou dizer nada, nesse caso. Não! Vou sim...

Eu tava triste, tristinho
Mais sem graça que a top model magrela
Na passarela
Eu tava só, sozinho
Mais solitário que um paulistano
Que um canastrão na hora que cai o pano
Que um vilão de filme mexicano
Tava mais bobo que banda de rock
Que um palhaço do Circo Vostok


Mas ontem eu recebi um telegrama
Era você de Aracaju ou do Alabama
Dizendo nego sinta-se feliz
Porque no mundo tem alguém que diz
Que muito te ama, que tanto te ama
Que muito te ama, que tanto te ama


Por isso hoje eu acordei
Com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho
E desejar bom dia
De beijar o português da padaria
Oh mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu
Quero ser seu
Quero ser seu papa


(Me dê as mãos, vamos sair, pra ver o sol)
Merda de modernidade
Merda de dias esses em que a gente vive. Merda precisar se preocupar em trancar o carro mesmo pra ir até a banca pegar um jornal. Merda não existir confiança entre as pessoas, ainda que seja só pra um fiado... Merda a gente ter que usar camisinha! Nascemos sem poder ousar em pensar em transar sem essa maldita borracha! Merda a gente ser tão dependente de máquinas, de cartões, de números, de senhas... Merda a gente viver brigando contra o relógio, pra sempre chegar atrasado. Merda a timidez, também.

Merda, merda, merda.
Nós
Odeio nós, sabe? Daqueles que as pessoas dão nas sacolas, que só rasgando a sacola pra abrir. Odeio nós.
Camelô
Preciso urgente de músicas pra sonorizar uma matéria de rádio sobre pirataria, sobre camelôs. Achei algumas ótimas: Forró do Camelô do Frank Aguiar, Camelô do Tom Zé e Camelô do Billy Blanco. Preciso de mais? Sugestões?!?!?!
Bateria
Meu carro vinha assim: se eu desligava o motor mas esquecia qualquer outra coisa ligada -luzes, rádio, pisca-alerta etc-, ainda que fosse por apenas alguns segundos, a bateria ia pro saco... Conclusão: lá ia o mané aqui empurrando o carro pra fazê-lo pegar no tranco... Ontem ganhei uma bateria de presente (mãe é mãe!) e hoje meu carro está (quase!) zero bala...! Perfeito...!
Uma poesia, por agora...
(E em espanhol, com a colaboração da Sofia, do México!)

La luna
(Jaime Sabines)

La luna se puede tomar a cucharadas
o como una cápsula cada dos horas.
Es buena como hipnótico y sedante
y también alivia a los que se han intoxicado de filosofía


Un pedazo de luna en el bolsillo
es mejor amuleto que la pata de conejo:
sirve para encontrar a quien se ama,
para ser rico sin que lo sepa nadie
y para alejar a los médicos y las clínicas.


Se puede dar de postre a los niños
cuando no se han dormido,
y unas gotas de luna en los ojos de los ancianos
ayudan a bien morir.


Pon una hoja tierna de la luna
debajo de tu almohada
y mirarás lo que quieras ver.
Lleva siempre un frasquito del aire de la luna
para cuando te ahogues,
y dale la llave de la luna
a los presos y a los desencantados.


Para los condenados a muerte
y para los condenados a vida
no hay mejor estimulante que la luna
en dosis precisas y controladas.


(Como eu sempre digo, melhor que ler um texto é ouvi-lo recitado na voz que melhor o faria, com o sotaque certo, com o cantar ideal...)

6.11.03

Mais fotos
Criei um álbum só com as fotos da viagem a Antigua, na Guatemala. Estão ótimas!! E as estou atualizando constantemente, à medida que me mandam mais...!
Polícia para quem precisa...
Acho que agora as pessoas entendem o que eu sempre digo: temos uma polícia de merda no Brasil, que não goza de nenhum respeito entre a população e agora virou alvo de bandidos... Pra ser bastante sincero, não sei quem é pior, se os mocinhos ou os vilões. As notícias não param de sair: hoje é já o quarto dia de ataques contra policiais...

Com uma polícia assim quem se sente seguro? Com bandidos assim, que se sente seguro?
Matrix
Alguém quer ver o terceiro filme da série comigo? Eu fiz o convite... Quem topar vai ter que conseguir os ingressos...!

4.11.03

Vivo, mas em crise
Um post só pra dizer que já estou em casa, na minha casa (dormi a primeira noite no Brasil na casa do meu pai, depois de passar a tarde inteira lá jogado no sofá diante da TV, cochilando...).

Estou em crise, como fico sempre que volto de alguma viagem. É normal, vai passar... Lá na Guatemala, em Antigua, conheci muita gente, de toda a América Latina: México, Guatemala, Costa Rica, Chile, Argentina, Uruguai, Panamá, Cuba, Venezuela... Todos de diferentes realidades, mas com o judaísmo em comum. Muitos jovens, inclusive...

Amanhã preciso fazer um relatório sobre a viagem e não sei se conto das coisas que eu vivi por lá, se falo do passeio que fiz ao vulcão Pacaya, se explico quão intensos foram os dias que passei lá, trocando idéias e experiências, se resumo em algumas páginas o que foi o encontro... Odeio fazer esses relatórios e ter que transformar em palavras frias e jogadas no papel vivências tão interessantes!

Agora, quase 20h15 de terça, vou dormir. A vida volta ao normal amanhã... Na verdade, já deveria ter voltado, desde ontem, mas eu cheguei muito passado, por conta do vôo terrível que fiz... Tenho muito pra colocar em dia. Quando revelar minhas fotos, e quando achar um tempinho, as coloco no meu álbum...

Shavua tov...